sábado, 17 de maio de 2008

Mato Grosso do Sul garante título em São Luiz

Seja qual for o resultado da final masculina da primeira etapa challenger do Circuito Banco do Brasil Vôlei de Praia, o Estado do Mato Grosso do Sul irá comemorar o título. É que dos quatro atletas que disputam a partida decisiva, três representam o Estado.

Único “estranho” na festa sul-mato-grossense na Arena Domingos Leal, Alex, do Amazonas, tenta ao menos impedir que os dois atletas que vão estar no lugar mais alto do pódio sejam exclusivamente da terra do pantanal. Mas, o jogador sabe que terá um grande desafio pela frente. É que a dupla do outro lado da quadra está junta a quatro anos, além disso chega pela segunda vez a final no Maranhão. “Essa terra nos traz energia boa. Em 2007 chegamos à final, mas não conseguimos o título. Nesse ano vamos fazer de tudo para subir ao lugar mais alto do pódio”, disse confiante Toninho.

Para chegar à decisão a dupla Toninho/Mauro Nogueira venceu Fábio Guerra e Léo com parciais de 18-15 1 18-12. Já Alex, e seu parceiro Zé Írio, passaram por cima de Beto Pitta/Lipe em jogo de três sets (18-15/13-18/15-06). O resultado apertado segundo Zé Írio foi pelos erros cometidos por sua dupla durante a semifinal, mas confiante o jogador acredita que poderão ter mais um resultado positivo amanhã. “Ainda não rendemos 100% do que podemos, mas estamos evoluindo a cada jogo. Nossa confiança desde o início da partida foi grande. Amanhã temos que estar mais concentrados e errar menos”, comentou o jogador que desbancou na semifinal a dupla cabeça-de-chave número um da competição.

- Bárbara Seixas a um jogo do seu primeiro título

“Vou procurar encarar com mais um jogo”. Esse é o segredo da carioca Bárbara Seixas para tentar ao seu primeiro título do circuito brasileiro. A bi-campeã mundial sub-21 chegou ano passado, quando jogava ao lado de Camilinha, a decisão no Piauí, mas acabou perdendo o título justamente para a então dupla de sua atual parceira.

Vivian, que em 2007 jogava ao lado de Ângela, foi campeã de duas etapas do Circuito Banco do Brasil: Palmas e Teresina. Mas a jogadora espera conquistar seu primeiro título com a nova parceira. Para isso elas terão a difícil missão de vencer na decisão as favoritas Maria Elisa e Val. “Sabemos do nosso favoritismo, entretanto respeitamos a dupla adversária”, comentou Val sobre o desafio na final. Mas, confiante a jogadora completa: “Maria Elisa e eu estamos em um bom ritmo de jogo”.

As duas duplas se classificaram a semifinal nos jogos desse sábado. Enquanto Maria Elisa e Val atropelaram Luana e Lili (2x0 – 18-11/18-12), Bárbara e Vivian tiveram mais dificuldades na partida contra Izabel e Chell. Depois de vencerem o primeiro set por apertados 26-24 e terem perdido o seguinte por 24-22, as dupla conseguiu a classificação a final com 15-08 no tie-break.

Brasileiros em busca da segunda final exclusiva em Roseto

Assim como no ano passado o Brasil tem chance de colocar duas duplas na decisão da etapa italiana do Circuito Mundial de Vôlei de Praia. E assim como em todas as edições em que a etapa foi disputada em Roseto, Ricardo e Emanuel buscam chegar a sua terceira final na cidade.

Para isso os campeões olímpicos precisam vencer os fortes alemães Julius Brink e Christoph Dieckmann, que se classificaram a semifinal ao derrotaram de virada os holandeses Nummerdor e Schuil (2x1 – 15-21/22-20/15-11). As duas duplas já se enfrentaram nove vezes e a vantagem brasileira no histórico é de apenas uma vitória a mais, sendo que no único confronto do ano quem levou a melhor foram os europeus. No Aberto de Praga, disputado semana passada, a dupla da Alemanha venceu os brasileiros por 2 a 1 – 14-21/21-18/15-13.

Já Pedro e Harley enfrentam pela segunda vez em uma semifinal nessa temporada os americanos Phil Dalhausser e Todd Rogers. Assim como em Adelaide, na etapa inaugural do tour em 2008, os brasileiros esperam conquistar a vitória sobre os oponentes e assim avançarem a terceira decisão da dupla nesse ano. “Nós estamos jogando muito bem. Treinamos muito para conseguir a maior quantidade de pontos possíveis para a classificação olímpica, que é o nosso principal objetivo na temporada”, comentou Harley após a vitória de sua dupla por dois a zero sobre os russos Barsouk e Kolodinsky (21-18/21-17).

No jogo que garantiu a segunda dupla brasileira no final four – Ricardo e Emanuel já estavam com a classificação garantida desde ontem – Harley e Pedro dominaram a partida desde o início. Nos dois sets a dupla abriu as parciais com 04-01, mas ao contrário do primeiro quando conseguiram a vitória por 21-18 sem sustos, no set decisivo os russos chegaram a ameaçar a vitória brasileira quando empatarm o jogo em dez pontos. Mas a calma dos campeões das duas primeiras etapas do ano acabou prevalecendo e eles retomaram o comando da partida até fechar o set e o jogo com 21 a 17.

Caso as duas duplas brasileiras avancem a final será a segunda vez que eles se enfrentarão na etapa de Roseto esse ano. Em jogo válido pelas quartas-de-final do torneio a vitória ficou com Ricardo e Emanuel por 2x0.

Dirigente afirma que nível de poluição pode ser acima do esperado

Pela primeira vez um membro do governo chinês admitiu que as Olimpíadas de Pequim podem ser disputadas com nível de poluição acima do prometido pelos organizadores dos Jogos.

Em discurso para membros do governo e dirigentes do setor industrial transcrito pelo jornal oficial o ministro da proteção ambiental Zhou Shengxian disse que as promessas deverão ser cumpridas mas que para isso provavelmente medidas mais drásticas terão que ser tomadas. “No atual nível de progresso podemos cumprir a promessa olímpica do nosso governo, mas devemos ter claro que a tarefa em questão continua sendo desafiadora”, comentou o ministro.

Apesar do aparente oitismo, chamando a situação atual de sombria Zhou lembrou que em Pequim e nas cidades vizinhas que tem ordens para diminuir o nível de liberação de poluentes ainda há muito a ser feito. “Ainda há problemas óbvios a respeito da implantação lenta e inconsciente desses projetos. Devemos ter muita atenção a eles e não baixar a guarda”.

Ele afirmou ainda que o governo chinês está tomando as medidas necessárias para o bom andamento do processo, que será mantido inclusive nos dias de disputa dos Jogos Olímpicos. “Assim que houver qualquer condição climática desfavorável durante a realização dos Jogos, as regiões vizinhas devem adotar medidas sérias”, completou.

O nível de poluição da cidade sede da próxima Olimpíada é uma das grandes preocupações de atletas de esportes disputados ao ar livre, como o vôlei de praia. Em entrevista recente a campeã olímpica em Sydney-00, Natalie Cook disse que a experiência vivida por ela na disputa da etapa de Xangai do Circuito Mundial foi uma amostra de que os atletas enfrentarão dificuldades,

Em dia de folga Ricardo e Emanuel falam sobre circuito

A folga no meio de um torneio é inusitada, mas foi conquistada graças à invencibilidade na etapa de Roseto (Itália). Com quatro vitórias em quatro jogos Ricardo e Emanuel esperam a definição hoje de seus adversários na semifinal, que pela programação local acontecerá só no domingo.

Para a dupla é uma ótima oportunidade de descanso. Em um calendário apertado até a disputa dos Jogos Olímpicos, em agosto, os dois resolveram inovar nessa temporada e entre as etapas que estão agora na sua fase européia vão a Portugal, onde montaram uma espécie de base de treinamento. “Nos estamos muito satisfeitos com a rotina que criamos entre os torneios de treinos em Portugal”, comentou Emanuel que acredita que o mais importante nessa fase de uma temporada tão importante é manter o planejamento visando a disputa dos Jogos Olímpicos.

Com situação folgada na luta pelas vagas brasileiras em Pequim, os brasileiros tem ido as etapas despreocupados com os resultados. Mesmo com apenas uma medalha de ouro valendo para aumentar sua pontução no ranking olímpico a dupla não está preocupada em atingir essa colocação. “Resultados não são tão importantes agora. O que é importante para a gente é trabalhar duro e continuar crescendo enquanto os outros times vão se aproximando”, disse o jogador que acredita que está vivendo uma das mais disputadas temporadas internacionais. “A competição está no mais alto nível que eu já vi nos meus 18 anos de voleibol. Tem muitos times de diferentes países tão perto do topo”, completou.

Independente disso eles esperam continuar amanhã a boa campanha até agora nessa etapa e vencer as duas partidas para seguir no mundial com um título já conquistado.

Definidas as quartas-de-final de São Luiz

Com a disputa dos primeiros jogos desse sábado ficaram definidos os duelos que valem vaga na semifinal da primeira etapa challenger do Circuito Banco do Brasil Vôlei de Praia. Quatro duplas de cada naipe já estavam pré-classificadas com duas vitórias ontem e agora se juntam a outras quatro que se classificaram pela repescagem.

No feminino Maria Elisa e Val, cabeças-de-chave número um da competição, irão enfrentar Mirlena e Érica Freitas, que se classificaram com uma vitória por 2x1 (18-15/16-18/15-13) sobre Camilinha/Luciana. “Fizemos uma bela partida. Trabalhamos muito para alcançar esse resultado. O pensamento agora é nas quartas-de-final. Com certeza virá um jogo difícil pela frente, mas vamos lutar por um bom resultado”, comenta Érica.

Os outros confrontos na chave das mulheres serão: Izabel/Chell x Elize Maia/Taiana, Vivian/Bárbara Seixas x Sandra Mathias/Elaine e Virna/Ângela x Luana/Lili.

Já entre os homens os cabeças-de-chave principais do torneio, Beto Pitta e Lipe, irão enfrentar André e Valredes. Confiante depois da boa apresentação no primeiro dia Beto quer manter o ritmo para chegar as finais. “Mais importante que os resultados foi a forma como jogamos. Nosso bloqueio e defesa funcionaram bem e erramos muito pouco. Agora, precisamos manter a concentração para tentar chegar a final”, analisa o jogador.

Além desse confronto, os outros três jogos são: Toninho/Mauro Nogueira x Raphael/Arthur, Thiago/Jan x Fábio Guerra/Léo e Bruno/Zé Írio x Fabiano/Juca.

Ana e Shelda vencem duelo brasileiro e estão na final

Dupla formada esse ano para tentar uma das duas vagas brasileiras em Pequim, Ana Paula e Shelda chegam a sua primeira decisão de etapa do Circuito Mundial. Depois de terem chegado a duas semifinais nas etapas anteriores, a dupla venceu hoje cedo o duelo contra Juliana/Larissa e se classificou para a disputa do ouro.

Foi um jogo bastante disputado, com as campeãs pan-americanas largando na frente com a vitória por 25-23. Mas Ana e Shelda tiveram a paciência necessária para reverter a situação nos dois sets seguinte, vencendo-os também por um placar apertado (21-19 e 17-15). Com o resultado a dupla avançou a final do torneio e garantiu no mínimo 540 pontos na corrida por Pequim.

No jogo que será disputado as cinco da manhã, no horário de Brasília, as brasileiras enfrentarão as jovens Chen Xue e Xi Zhang, da China. As asiáticas venceram com duplo 21-15 as americanas Branagh/Youngs na semifinal, completando assim uma escala perfeita até a decisão, onde só perderam um set no confronto frente Juliana/Larissa – válido pelas quartas de final.

“Será um jogo da experiência contra a juventude. As chinesas são um time forte”, aposta Ana Paula. “Ainda bem que temos vinte e quatro horas para descansar do jogo de hoje”, completou.

As duas duplas se enfrentam pela terceira vez em três etapas do mundial. Em Adelaide a vitória foi das brasileiras, mas em Xangai foram as chinesas que venceram a disputa pelo bronze.

sexta-feira, 16 de maio de 2008

Ricardo e Emanuel vencem duelo brasileiro e estão na semifinal

Depois de por duas vezes duplas brasileiras perderem o confronto que as classificaria para uma disputa caseira, finalmente aconteceu em Roseto – Itália – a primeira partida totalmente verde-e-amarela. O confronto entre os cabeças-de-chave número dois e três do torneio garantiu ao país por antecipação uma vaga na semifinal.

E essa vaga acabou ficando com a dupla melhor ranqueada. Ricardo/Emanuel dominaram a partida que teve duração de quarenta minutos e venceram, com duplo, 21-16 os campeões das etapas de Adelaide e Xangai. Nos dois sets as parciais foram construídas com os campeões olímpicos aproveitando bem as oportunidades de contra-ataque, mas na segunda parte do jogo Pedro e Harley chegaram a abrir vantagem em 5-3. Porém, em uma seqüência de quatro pontos, Ricardo e Emanuel reassumiram o comando do placar (7-5) e com calma ampliaram a vantagem até o término da partida.

A dupla vencedora espera agora a definição da repescagem para conhecer os seus adversários no final four. Já Pedro/Harley precisam vencer o próximo jogo, contra os chineses Xu/Wu ou os russos Barsouk/Kolodinsky, para enfrentarem os americanos Rogers e Dalhausser no jogo que vale vaga na decisão.

- Pedro/Franco ganham duas mas caem no terceiro jogo

Depois de vencerem seus dois primeiros compromissos do dia por 2x0, na repescagem, contra os suíços Laciga/Schnider e os austríacos Doppler/Gartmayer, Pedro e Franco acabaram não resistindo ao ritmo de partida imposto pelos russos Barsouk e Kolodinsky.

No terceiro jogo pela chave eliminatória eles até conseguiram resistir, mas não evitar a derrota frente os europeus – parciais de 21-18 e 23-21. Com o resultado a dupla deixa a competição com a nona colocação e já se prepara para na semana que vem, na Croácia, recomeçar a maratona de disputa do country-quota e qualifying.

Marcelo Negrão toma virada e perde na estréia em São Luiz

A cidade é especial na carreira do atleta, afinal foi em São Luiz (Maranhão) que Marcelo Negrão jogou pela primeira vez uma partida oficial de vôlei de praia. Mas a estréia do atleta, que joga ao lado do pernambucano Adriano não foi boa.

Após vencer o primeiro set sobre a dupla sul-mato-grossense Mauro Nogueira e Toninho pela contagem mínima (18-16), o campeão olímpico no vôlei de quadra e seu parceiro enfrentaram uma verdadeira maratona no set seguinte. A derrota veio com o incrível placar de 33-31 e parece ter abalado a dupla que acabou derrota também no tie-break por 15-09.

Agora Marcelo Negrão e Adriano enfrentam Fábio Guerra/Léo, que perderam para Juca/Fabiano (2x1 – 16-18/18-14/15-12), em uma partida eliminatória.

Os outros resultados da primeira rodada masculina foram Alex/Moisés 2x0 Joe/Edmílson, Thiago/Jan 2x0 Raphael/Arthur, Rodrigo/Hevaldo 2x0 Tiago/Ricardo, Bruno/Zé Írio 2x0 Paulo Emílio/Yuri, Beto Pitta/Lipe 2x0 André/Valredes e Nelsinho/Keko 2x1 Oscar/Alexandre Peres.

Apesar de lesão, Franco leva sua dupla ao terceiro jogo do dia

Ele vem enfrentando uma seqüência de jogos impressionante a cada semana, mas mesmo lesionado na coxa direita o veterano Franco – 41 anos – segue na luta por uma vaga no final four da quarta etapa do Circuito Mundial Masculino.

Se não bastasse estar disputando em todas as etapas uma verdadeira maratona com os jogos do country-quota e do qualifying, ele e seu parceiro Pedro Cunha foram derrotados ainda na primeira rodada em Roseto e por isso disputam daqui a pouco a sua quinta partida na competição. “Está sendo uma experiência e tanto passar pelo country-cota e pelo qualifying. Estou sentindo uma lesão no músculo adutor da coxa direita e sem tempo de descanso não consigo me recuperar. Mas um guerreiro não desiste assim tão fácil”, comentou o jogador sobre a dificuldade de ter que disputar tantas partidas eliminatórias para manter-se na briga pelo título.

A seqüência de vitórias começou ainda na quinta-feira quando sua dupla passou em um jogo com mais de uma hora de duração sobre os noruegueses Hoidalen/Goranson, e seguiu hoje com duas partidas vencidas por dois sets a zero. No primeiro jogo do dia foram precisos quarenta e três minutos para eliminar os suíços Laciga/Schnider (21-14/21-19). Já no segundo confronto dessa sexta, contra os austríacos Clemens Doppler e Peter Gartmayer, a vitória veio de forma mais tranqüila. Após vencerem o primeiro set por 21-16 os brasileiros chegaram a estar perdendo o início do segundo por 4 a 1 mas, depois de empatarem em 7-7, fizeram uma impressionante seqüência de nove pontos que lhes rendeu a tranqüilidade necessária para administrar o placar até fechar o jogo com 21-14.

O último desafio do dia será vencer, além do cansaço, os russos Barsouk e Kolodinsky, devolvendo assim a derrota sofrida na primeira etapa do mundial esse ano, na Austrália. Só a vitória interessa a Pedro/Franco para que eles possam amanhã tentar vencer mais dois jogos e chegar a semifinal do torneio.

Ana Paula e Shelda chegam a terceira semifinal consecutiva

Com o segundo dia da etapa de Seul encerrado, Ana Paula e Shelda seguem como a única dupla brasileira invicta no torneio. A seqüência de quatro vitórias na competição coloca a dupla na sua terceira semifinal em três etapas disputadas do Circuito Mundial.

“Precisamos começar a ganhar etapas do circuito para conseguir nosso objetivo de se classificar para Pequim”, comentou Ana Paula depois de conquistar a vaga no final four. A jogadora que ao lado de sua parceira Shelda espera a definição de suas próximas adversárias através da repescagem chegou a semifinal após vencerem em três sets as norte-americanas Nicole Branagh e Elaine Youngs. O jogo que teve quase uma hora de duração foi bastante disputado, com as brasileiras vencendo o primeiro set por 21-18 mas cedendo o empate depois com 15-21. No tie-break mais uma prova do equilíbrio da partida. A vitória verde-e-amarela veio apenas com o placar de 17 a 15.

Já a outra dupla brasileira que disputava a quarta partida na chave dos vencedores acabou caindo a repescagem. Após um primeiro set esmagador sobre as chinesas Xue/Zhang Xi (21-11), Juliana e Larissa acabaram não resistindo a virada da dupla oriental. “Nós sabíamos que somos melhores do que jogamos no primeiro set, por isso não desistimos. Ainda bem que foi apenas no primeiro set e tivemos a oportunidade de virar a partida contra grandes adversárias”, analisou Zhang após vencer os dois sets seguintes com placar de 21-18 e 15-11.

Juliana e Larissa, porém ainda tem chances de chegar a semifinal. Para isso basta vencer o jogo contra a dupla que sair vitoriosa do confronto entre as norte-americanas Boss/Ross e as chinesas Tian Jia/Wang.

- Renata e Talita perdem e deixam torneio com a 9ª colocação

A etapa da Coréia do Sul não foi mesmo boa para algumas duplas brasileiras. Após a eliminação precoce de Maria Clara e Carol, ainda no qualifying, hoje cedo foi a vez de Renata/Talita darem adeus a competição.

Depois de vencerem seus dois primeiros jogos eliminatórios do dia, as brasileiras acabaram sendo derrotadas pela segunda vê por uma dupla americana. Em quarenta e oito minutos Jenifer Boss e April Ross venceram as brasileiras, com parciais de 21-18/17-21/15-11, e eliminar as adversárias.

Com o resultado a dupla que havia chegado as duas finais nas primeiras etapas do Circuito Mundial deixam Seul com apenas a nona colocação.

Três duplas seguem na disputa na Itália

Ao contrário de Márcio e Fábio Luiz, que perderam pela segunda vez consecutiva e foram eliminados da competição, as outras três duplas brasileiras que disputam a Etapa de Roseto do Circuito Mundial continuam na briga pelo título.

Jogando também pela repescagem, Franco e Pedro eliminaram os suíços Laciga/Schnider com um placar de dois sets a zero, parciais de 21-14 e 21-19, e agora enfrentam justamente a dupla que eliminou Márcio/Fábio Luiz da disputa: os austríacos Doppler e Gartmayer. O jogo será o terceiro no histórico do confronto, e se mantiverem o retrospecto os brasileiros conseguirão a terceira vitória.

Já Pedro/Harley e Ricardo/Emanuel seguem invictos na etapa e estão a um jogo da semifinal na Itália. Os campeões das duas primeiras etapas do ano seguem inclusive sem perder um set no torneio, mas para manter essa invencibilidade eles tiveram que suar a camisa no jogo contra Brink/Dieckmann. Os alemães, que haviam passado anteriormente por Márcio/Fábio Luiz, deram trabalho para Pedro Solber e Harley no primeiro set. Mas a vitória por 22-20 parece ter acordado os brasileiros que na seqüência impuseram um placar de 21-15.

Já os campeões olímpicos precisaram de três sets para passarem pelos americanos Gibb/Rosenthal, que foram campeões na etapa disputada na semana passada em Praga. Após a vitória brasileira no primeiro set por 21 a 18, os americanos empataram o jogo com 21-17. Mas a experiência de Ricardo/Emanuel fez toda a diferença na hora do set desempate, quando os brasileiros fecharam a partida que durou cinqüenta e três minutos com 15-11.

Agora as duas duplas brasileiras se enfrentam nas quartas-de-final do torneio, a uma e meia da tarde no horário de Brasília. Quem sair vitorioso do confronto garante vaga na semifinal, já a outra dupla precisará garantir a vaga no final four disputando uma partida pela repescagem.

Márcio/Fábio Luiz são eliminados

Depois de vencerem na estréia a dupla de Letônia, Márcio e Fábio Luiz não conseguiram passar por mais nenhum adversário e estão eliminados da quarta etapa do Circuito Mundial de Vôlei de Praia Masculino, disputada em Roseto (Itália).

Ontem a dupla já havia sido derrotada pelos alemães Brink e Dieckmann (2x1) em jogo que empurrou os brasileiros a repescagem e com a derrota sofrida na manhã dessa sexta a dupla se despede da etapa com a décima sétima colocação. A eliminação veio depois de Márcio e Fábio Luiz terem vencido o primeiro set por 21-11. O que parecia ser uma vitória fácil acabou virando uma derrota de virada com parciais bem apertadas. A vitória dos austríacos Doppler e Gartmayer no set seguinte (21-18) forçou a realização do tie-break. Depois de mais de uma hora de partida a vitória ficou do lado europeu com 17-15 na última parcial.

Agora a dupla segue para Zagreb, na Croácia, aonde será disputada na semana que vêm mais uma etapa do tour mundial.

Mais uma dupla americana pela frente

A derrota no primeiro dia, que colocou Renata/Talita na repescagem, foi para a dupla norte-americana Wacholder/Turner. Agora, em jogo que vale a continuação no Aberto de Seul do Circuito Mundial elas terão que passar por outra dupla dos Estados Unidos. Em jogo válido pela quarta rodada da repescagem as brasileiras enfrentam Boss/Ross.

A classificação a essa fase do torneio veio com duas vitórias na quadra central. Após terem batido as holandesas Van Breedam e Mouha por 2x0 (21-14 e 21-17), Renata e Talita voltaram à arena montada no Han River Jamsil Citizen Park para um jogo de vida ou morte contra as alemãs Brink-Abeler e Jurich. Mostrando todo seu poderio de jogo as vice-líderes do ranking nacional não tiveram dificuldades em vencer a partida. Após abrirem sete pontos (14-7) no tempo técnico, Renata/Talita fecharam o primeiro set em 21-16. No segundo elas abriram cinco pontos logo de cara (09-04) e souberam administrar o placar para confirmar a vitória com 21-17.

Para chegarem a semifinal da competição a dupla precisa agora vencer, além do terceiro jogo de hoje, mais duas partidas no sábado.

Brasileiras tentam vaga na semifinal

O Brasil pode garantir no início dessa sexta duas vagas nas semifinais da etapa de Seul do Circuito Mundial de Vôlei de Praia. Para isso basta que Juliana/Larissa e Ana Paula/Shelda continuem invictas na competição.

As duplas que venceram seus dois jogos de ontem voltaram a conquistar mais uma vitória agora a pouco na capital sul-coreana. Enquanto Juliana/Larissa confirmavam seu favoritismo na quadra central, vencendo as australianas Barnett/Cook com parciais de 21-17 e 21-18, Ana Paula e Shelda derrotavam a principal dupla chinesa em uma das quadras externas. Após um primeiro set vencido pela contagem mínima (21-19) as brasileiras impuseram seu ritmo de jogo e confirmaram a vitória com fáceis 21-12.

Os dois resultados colocaram as duplas nas quartas-de-final da competição. As quatro da manhã, no horário de Brasília, as campeãs pan-americanas tentam a décima vitória em treze jogos contra as chinesas Chen Xue e Xi Zhang. Uma hora e quinze minutos depois é a vez de Ana Paula/Shelda tentarem repetir o resultado da disputa do terceiro lugar em Adelaide e vencerem as americanas Nicole Branagh e Elaine Youngs.

Vitória garante seqüência na repescagem

Renata e Talita estrearam com vitória na repescagem da etapa de Seul do Circuito Mundial. As brasileiras mantiveram a invencibilidade no confronto e agora acumulam cinco vitórias contra as belgas Van-Breedam e Mouha.

Em jogo disputado na quadra central do complexo montado na capital da Coréia do Sul as vice-líderes do ranking olímpico brasileiro impuseram seu ritmo de jogo e venceram as européias por dois sets a zero. Mas, apesar da vitória fácil no primeiro set, quando dominaram o placar desde o início e venceram com 21 a 14, as brasileiras estiveram em uma situação complicada na seqüência da partida. No segundo set as belgas chegaram a abrir cinco pontos (8-3), mas aí Renata e Talita mostraram porque nunca perderam um set sequer para as adversárias. Com calma elas conseguiram virar o placar e confirmar a vitória com 21 a 17.

Na seqüência da repescagem o próximo jogo será contra as vencedoras do confronto entre as alemãs Brink-Abeler/Jurich e Wang/Zuo, da China.

Cris e Andrezza perdem e são eliminadas

Com duas derrotas e apenas uma vitória as brasileiras Cris e Andrezza, que no Circuito Mundial jogam pela República da Geórgia, deixam a etapa de Seul com a décima sétima colocação.

A dupla que passou pelo qualifying na quinta-feira estreou na fase principal do torneio com uma derrota frente as australianas Cook/Barnett (0x2 – 19-21/14-21). Com o resultado, ainda no primeiro dia de disputa do main draw elas tiveram que passar pelo primeiro jogo eliminatório, válido pela repescagem. Apesar de jogarem contra as donas-da-casa a vitória veio com facilidade. Em apenas vinte e quatro minutos impuseram uma vitória com parciais de 21-10 e 21-06.

Já na primeira partida de sexta-feira, noite de quinta no Brasil, elas acabaram não resistindo as gregas Karantasiou e Arvaniti. Cris e Andrezza ainda ameaçaram as favoritas, ao devolver a derrota do primeiro set (15-21) na parcial seguinte (28-26), mas no set desempate acabaram perdendo por 15-10.

O resultado acabou eliminando a chance da dupla de marcar pontos no ranking olímpico. Atualmente com a vigésima quinta posição elas precisam subir mais uma para conquistarem o direito de disputar os Jogos Olímpicos de Pequim.

quinta-feira, 15 de maio de 2008

Casal comemora acesso a chave principal

O cearense Valredes e sua esposa Mirlena Santos, do Amazonas, tiveram dois motivos pra comemoração hoje. Além da própria classificação os jogadores puderam comemorar a conquista do cônjuge.

Para chegar à fase principal do Challenger de São Luiz o representante do Ceará, que joga ao lado de André, venceu três partidas. Primeiro 2x0 sobre os maranhenses Jonatha/Tarcísio (18-10/18-09), depois 2x1 em cima de Lobeira/Leandro Lima (18-16/16-18/15-13) e finalmente a vitória que garantiu a vaga na chave principal: 2x0 sobre Isac Dias e Evan Melo (18-14 e 18-15).

Depois da vaga garantida o jogador foi assistir a sua esposa na segunda e decisiva partida do qualifying. Mirlena, que joga com Érica Freitas, já havia vencido as cearenses Mayar/Leia (18-12/18-09) e na última rodada do quali derrotou Naiara e Mariana em três sets (13-18/18-16/18-16). “Foi uma partida difícil. Embora a parceria seja formada há pouco tempo, ela está bem e deu trabalho. Sabia que seria um duelo equilibrado”, comentou a jogadora após o confronto equilibrado.

As outras três duplas classificadas no feminino são Érika/Isabel Grael, Andréa Teixera/Carla e Bruna/Fabí.

Fábio Guerra e Léo tiram Roberto Lopes da etapa

Não vai ser dessa vez que Roberto Lopes poderá conquistar mais um título no Estado onde nasceu. O jogador que estreou sua nova parceria com o cearense Wadson não conseguiu passar do qualifying da Etapa Challenger de São Luiz (MA) do Circuito Banco do Brasil Vôlei de Praia.

Na estréia nessa quinta-feira na arena montada na Lagoa de Jansen o veterano conseguiu sua primeira vitória com o novo parceiro, com duplo 21-14, sobre Arielton e Filho do Paiuí. O caminho continuava sendo só de alegrias quando com 18-11 e 18-16 eles bateram na seqüência Murilo e Thomas, mas aí veio o jogo que valia vaga na chave principal do torneio.

Após terem vencido Ronald/Pereira e Fabrício (2x0 – 18-11/18-09) e Betinho/Miguel (2x0 – 18-16/18-14), Fábio Guerra e Léo conseguiram sua classificação justamente em cima da dupla de Roberto. Em um jogo bastante equilibrado a dupla do maranhense foi derrotada com parciais de 18-16 e 19-17.

As outras três duplas que avançam pelo qualifying à chave principal da etapa são Tiago/Ricardo, André/Valredes e Oscar/Alexandre Peres.

No feminino grandes desafios pela frente

Elas venceram os dois primeiros jogos da etapa de Seul do Circuito Mundial, mas agora Juliana/Larissa e Ana Paula/Shelda terão grandes desafios pela frente.

Em jogos válidos pela terceira rodada do torneio elas vão pegar, respectivamente, as australianas Barnett/Cook e as chinesas Tian Jia/Wang. Os desafios que valem vaga nas quartas-de-final da competição estão marcados para o mesmo horário, uma hora da madrugada de quinta para sexta.

“Estamos satisfeitas com os resultados de hoje mas ainda tem muita coisa pela frente. Vencer no começo é importante porque encurta o caminho mas temos que manter a concentração e repetir o desempenho nos próximos jogos”, afirma a experiente Shelda. Para chegar as quartas-de-final da competição ela e sua parceira Ana Paula terão que desbancar a principal dupla chinesa.

Jogo complicado também para as outras brasileiras. Apesar de serem cabeças-de-chave número um do torneio, Juliana e Larissa sabem que terão que vencer um grande desafio para seguirem invictas na busca do seu segundo título internacional na temporada – elas venceram a etapa de estréia do circuito na Austrália. Mas, o jogo contra as australianas Barnett e Cook é a oportunidade das brasileiras devolverem a única derrota sofrida na etapa da Coréia do Sul no ano passado. “Essa partida contra as australianas será um bom desafio para nós. Essa é uma dupla nova, que se formou no ano passado. Cook é uma jogadora experiente e disputa o Circuito Mundial há mais de 10 anos. Barnett é mais jovem, mas é bem alta e tem mais de 1,90 cm de altura”, analisou Juliana. Se ela e sua parceira vencerem o jogo de amanhã elas igualam o histórico do confronto contra as australianas, que até agora levam vantagem com duas vitórias e uma única derrota, sofrida na etapa de Xangai esse ano.

- Renata e Talita não pode mais perder

Analisando apenas o histórico do confronto contra as adversárias, ao menos na teoria Renata e Talita terão mais facilidade do que suas compatriotas no primeiro jogo de amanhã. Mas, como a partida, marcada para a meia-noite no horário de Brasília, é na repescagem, as jogadoras sabem que não podem perder a concentração.

“Agora é vencer ou vencer. Não podemos mais cometer erros como os que tivemos no segundo set contra as americanas, quando podíamos ter ganhado a partida”, analisa Talita sobre a dificuldade de sua dupla ter que vencer todos os seus próximos jogos para manter-se na disputa. O primeiro desafio na chave dos perdedores será contra as belgas Van Breedam e Mouha.

Alemães impedem primeiro confronto brasileiro na Itália

Pedro e Harley fizeram a parte deles. Venceram as duas partidas de hoje, 21-13 e 21-10 sobre os franceses Cès/Ces e 21-18 e 23-21 sobre os suíços Laciga/Schnider, e se classificaram as oitavas-de-final do Aberto da Itália de Vôlei de Praia. Mas, o que era pra ser o jogo que garantiria por antecipação uma vaga brasileira nas quartas acabou não acontecendo.

É que no confronto que decidida os adversários dos ganhadores das duas primeiras etapas do Mundial esse ano a vitória acabou ficando com os alemães Julius Brink e Christoph Dieckmann. Márcio e Fábio Luiz chegaram a ter três oportunidades de fechar o jogo no tie-break, depois de perderem o primeiro set (22-20) e ganharam o seguinte (21-18), mas acabaram tomando a virada e foram derrotados pelos europeus por 18-16.

Em boa fase, vindo de um segundo lugar em Praga, a dupla da Alemanha será então o próximo desafio de Harley e Pedro Solberg. Apesar de não terem se encontrado ainda nessa temporada, nas três vezes em que se enfrentaram em 2007 a vitória foi brasileira por dois sets a zero. Facilidade pela frente? Não é o que pensa o brasiliense Harley. “Sabemos que será uma parada dura. Eles também estão sacando melhor e vão exigir muita concentração de nossa parte”, analisa o jogador.

- Ricardo/Emanuel pegam o vencedor do confronto

Se escaparam de uma briga direta contra Márcio/Fábio Luiz, Pedro e Harley poderão já na próxima fase encontrar outra dupla brasileira. Caso as duas duplas verde-e-amarelas avancem na chave dos vencedores o jogo que vale vaga na semifinal do torneio será entre Ricardo/Emanuel e Pedro/Harley.

Os atuais campeões olímpicos se classificaram as oitavas-de-final da competição ao vencerem seus dois jogos de hoje. Depois de terem enfrentado resistência para vencer os venezuelanos Hernandez e Jackson (2x1 – 27-25/18-21/15-13) eles passaram sem maiores dificuldades pelo segundo jogo. Com dois sets a zero, parciais de 21-13 e 21-16, bateram os holandeses Boersma e Ronnes e agora pegam os norte-americanos Gibb/Rosenthal, vencedores do Aberto de Praga.

Brasileiros avançam na repescagem

A vitória foi suada, e só veio com a virada no jogo, mas os brasileiros Franco/Pedro e Renatão/Jorge (que representam a República da Geórgia) conseguiram vencer o seu primeiro desafio na repescagem.

Depois de terem sido derrotados pelos americanos, o primeiro set fazia parecer crer que o dia não seria mesmo dos atuais campeões brasileiros. Mas, depois de perderem por 21-17, Franco e Pedro reencontraram o seu jogo e venceram a partida com a seqüência de 21-18 e 15-12 em uma partida com mais de uma hora de duração. O resultado mantém a dupla na disputa da etapa de Roseto (Itália). Agora, eles precisam passar pelos perdedores do confronto entre Harley/Pedro e os suíços Laciga/Schnider para seguir na chave eliminatória.

Já Renatão e Jorge perderam na estréia para uma dupla dona da casa. A derrota por 2x0 para Lione e Varnier (21-16/21-18) empurrou a dupla a chave dos perdedores, aonde estrearam com uma vitória por 2x1 frente os franceses Gagliano e Dugrip (19-21/21-19/15-11).

Americanos também colocam Franco/Pedro na repescagem

Parece que as duplas americanas são a grande pedra no sapato das brasileiras essa semana. Depois da derrota de Renata/Talita em Seul, na etapa de Roseto (Itália) outra vez os americanos impuseram uma derrota a uma dupla brasileira.

As vitimas dessa vez foram Pedro e Franco, que acabaram derrotados na primeira rodada por Fuerbringer/Jennings (2x0 – 21-18/21-14). Com o resultado os atuais campeões brasileiros disputam agora a repescagem. A estréia na chave eliminatória será contra os noruegueses Hoidalen/Goranson.

Já as outras três duplas brasileiras estrearam bem na etapa. Harley e Pedro atropelaram os franceses Cès/Ces por 2x0 (21-13/21-10) em trinta e quatro minutos, e agora enfrentam os suíços Laciga/Schnider na segunda rodada. Esse será o quinto confronto entre as duplas, e os brasileiros lideram o histórico com três vitórias e uma derrota.

No mesmo horário (12:30 de Brasília) Márcio/Fábio Luiz entram em quadra para enfrentar os alemães Julius Brink e Christoph Dieckmann. A dupla brasileira avançou a segunda rodada também com uma vitória de dois sets a zero. Eles impuseram as parciais de 23-21 e 21-19 sobre Samoilovs e Plavins, da Letônia.

Já Ricardo/Emanuel precisaram de três sets para vencer na estréia contra os venezuelanos Hernandez/Jackson. Depois de vencer apertado no primeiro set (27-25) os atuais campeões olímpicos cederam o empate na parcial seguinte (21-18), mas conseguiram vencer na seqüência com apertados 15-13. Agora eles tentam manter a invencibilidade no confronto contra os holandeses Boersma/Ronnes.

Renata e Talita caem para a repescagem

Depois de vencerem seu primeiro jogo contra as holandesas Keizer/Vries por 2x0, Renata e Talita acabaram derrotadas na segunda rodada e agora terão que disputar a repescagem da etapa de Seul do Circuito Mundial de Vôlei de Praia.

Após estarem perdendo o primeiro set por 17 a 11 as brasileiras souberam manter a calma e virar o jogo, fechando com 21-19 a seu favor. Mas a mesma calma faltou pra confirmar a vantagem que abriram na parcial seguinte. Foi quando as norte-americanas Wacholder/Turner devolveram o mesmo placar forçando o tie-break. “Podíamos ter fechado a partida em 2x0, mas não conseguimos. Aí no último set elas abriram dois pontos e administraram o placar”, explicou a carioca Renata Trevisan sobre a vitória das americanas com 15-12 no terceiro e decisivo set.

Com o resultado as campeãs de Xangai precisam agora vencer cinco jogos seguidos para chegarem a semifinal – o primeiro será contra as belgas Van Breedam/Mouha. Enquanto isso as outras duplas brasileiras precisam apenas confirmar mais duas vitórias para chegarem no final four.

É que Juliana/Larissa e Ana Paula/Shelda venceram os seus dois compromissos no primeiro dia. As campeãs pan-americanas começaram atropelando as anfitriãs Song/Woo com duplo 21-05, mas na partida seguinte, apesar do 2x0, encontraram mais difucldade para vencer as russas Uryadova e Shiryaeva (22-20/21-18). Assim como elas, Ana Paula e Shelda também venceram suas duas partidas com 2x0 – 21-11/21-19 sobre a dupla das Filipinas Ilustre/Pascua e 21-18/21-15 sobre as Schwaiger da Áustria.

Brasileiras estréiam com vitória em Seul

As brasileiras não tiveram dificuldade em confirmar o favoritismo e se classificar a segunda rodada do Aberto de Seul do Circuito Mundial de Vôlei de Praia feminino. Com três vitórias por dois sets a zero o Brasil segue invicto na competição.

O jogo mais fácil foi de Juliana/Larissa. As campeãs mundiais precisaram de apenas vinte de dois minutos para vencerem as donas da casa Song/Woo com duplo 21 a 05. Com o resultado as cabeças-de-chave número um do torneio avançam a segunda rodada, onde enfrentam pela quinta vez as russas Uryadova e Shiryaeva. Apesar do favoritismo, as brasileiras sabem que não podem entrar no jogo desconcentradas para evitar um susto como no jogo em Xangai, quando perderam o primeiro set para as adversárias.

Já Renata/talita, após a vitória sobre as holandesas Keizer/Vries (2x0 – 21-19/21-16) precisam devolver a derrota sofrida na Tailândia, no ano passado, perante as americanas Tyra Turner e Rachel Wlachoder, para seguir invictas no torneio.

Ana Paula e Shelda, depois da vitória sobre a dupla das Filipinas – Ilustre/Pascua – enfrentam pela segunda rodada as austríacas Schwaiger.

quarta-feira, 14 de maio de 2008

Maranhense Roberto Lopes estréia nova parceira em casa

Ele sempre foi conhecido como representante do Estado do Ceará, Mas Roberto Lopes na verdade é Maranhense. Por isso, para o veterano das areias, a primeira etapa challenger desse ano é especial.

O jogador que nasceu em Bacabal, mudou-se aos doze anos de idade para Fortaleza aonde reside até hoje. Roberto é o maior vencedor da história de títulos no Maranhão, ele venceu em 92 e 93 ao lado de Franco e em 03 ao lado de Alex, mas ainda sonha com mais um título em casa. “Sou maranhense e me motiva muito jogar em meu Estado. É uma sensação muito boa a de vencer em casa e quero senti-la mais uma vez. Sou de Bacabal, então São Luis é como se fosse minha casa”, comentou o jogador de 41 anos de idade.

A motivação pode ser maior ainda porque depois de disputar as seis primeiras etapas do Circuito Banco do Brasil Vôlei de Praia ao lado de Magalhães, ele estréia nessa quinta-feira a sua nova dupla. “Nosso jogo não casou, e quando isso acontece não adianta insistir. É uma coisa absolutamente normal a troca de parceria no vôlei de praia”, explicou o jogador que atuará ao lado do cearense Wadson. “O Wadson é mais um jovem jogador do Ceará e é canhoto, o que facilita nosso jogo. Mas, temos consciência de que o torneio em São Luis será complicado para nós pelo curto período de treinamento”, acrescentou.

Jogadoras na expectativa da estréia

O Brasil vem fazendo bonito nas etapas do Circuito Mundial Feminino. O país foi o único a colocar as suas duplas nas duas finais disputadas até agora, por isso q véspera de começar mais uma etapa as jogadoras brasileiras falam da expectativa na estréia.

Medalha de bronze no ano passado em Seul, Juliana e Larissa conquistaram na Coréia do Sul o direito de disputar os Jogos Pan-americanos no Rio. Por isso as jogadoras guardam com carinho especial as lembranças dessa etapa: “As lembranças são boas, já que o Pan foi uma competição muito especial em nossa carreira. Isso nos dará uma motivação extra para correr atrás da medalha de ouro agora”, comentou Larissa que na estréia terá que vencer as adversárias e a torcida, já que pega com sua parceira uma dupla da casa.

Já Ana Paula e Shelda querem reencontrar o caminho do pódio, depois de ter ficado com a quarta colocação na última etapa. “Estamos motivadas para mais esse torneio. Tivemos um bom tempo para treinar e acreditamos que podemos reeditar as boas apresentações”, disse Ana Paula. Para sua dupla alcançar um bom resultado é vital para manter-se na briga pela vaga nos Jogos de Pequim, já que suas principais adversárias (Renata/talita) conquistaram o título em Xangai. A carioca Renata acredita incluive que a conquista na China serve de motivação para a sua dupla: “O resultado em Xangai aumentou a confiança no nosso time. Treinamos bem essa semana na Grécia e nosso objetivo é chegar a mais uma final”.

Renatão e Jorge se beneficiam de desistência

Mesmo com a derrota para os venezuelanos Hernandez/Jackson no qualifying, Renatão/Jorge, que representam a República da Geórgia, se beneficiaram da desistência de outra dupla e conseguiram entrar para a chave principal da quarta etapa do Circuito Mundial, disputada essa semana em Roseto (Itália).

Com a inesperada classificação a dupla estréia contra a torcida e os donos da casa Lione e Varnier as 06:30 no horário de Brasília. Já os vencedores do último confronto deles na fase de qualificação irão pegar outra dupla brasileira: Ricardo/Emanuel. A partida entre os venezuelanos e os atuais campeões olímpicos está prevista para as 08:30 de Brasília.

As outras três duplas brasileiras na etapa também conheceram agora a pouco no Congresso Técnico os seus adversários na estréia. Campeões na Itália no ano passado, Márcio e Fábio Luiz começam a defesa do título contra Samoilovs/Plavins (Letônia). No mesmo horário – 07:30 de Brasília – Harley e Pedro tentam voltar a uma final, depois de terem ganho as duas primeiras etapas do ano, enfrentando na estréia Cès/Ces da França. Já Franco/Pedro Cunha estréiam uma hora antes contra os norte-americanos Fuerbringer e Jennings.

Ao contrário das mulheres, Brasil garante quarta dupla na Itália

Enquanto a desclassificação de Maria Clara/Carol ainda no qualifying da etapa de Seul surpreendeu, na Itália Franco e Pedro garantiram o acesso a quarta etapa consecutiva do Circuito Mundial.

Jogando em Roseto pela fase internacional de qualificação, após terem passado ontem pelo country-quota, os brasileiros conseguiram duas fáceis vitórias que os garantiram entre as trinta e duas duplas que amanhã começam a disputa da chave principal. Cabeças-de-chave número um dessa fase da competição os atuais campeões brasileiros não precisaram disputar a primeira rodada. Na primeira partida de hoje eles precisaram de apenas trinta e nove minutos para derrotar os croatas Peric e Krizanovic, com parciais de 21-17 e 21-14. Depois foram quarenta e cinco minutos e novamente uma vitória por 2x0, dessa vez sobre os russos Koshkarev e Prokopiev (21-13 e 21-17).

Com o resultado Pedro/Franco se juntam a Ricar/Emanuel, Márcio/Fábio Luiz e Pedro/Harley, pré-classificados a fase principal da competição.

- Ao contrário das mulheres, dupla de Geórgia cai

Também de forma diferente do que aconteceu no qualifying da terceira etapa feminina do mundial, os brasileiros naturalizados na Geórgia Renatão e Jorge não conseguiram avançar na competição.

Após fácil vitória sobre os austríacos Hupfer e Schroffengger (2x0 – 21-12/21-18) a dupla formada por brasileiros foi surpreendida pelos venezuelanos Hernadez/Jackson. Ganhadores do primeiro set (21-17) os representantes do pequeno país europeu não conseguiram manter o ritmo e foram derrotados na seqüência por 2-18 e 15-13.

Índia receberá etapa Challenger do Mundial

A Federação Internacional de Voleibol (FIVB) anunciou hoje que a cidadede Chennai irá receber pela primeira vez na história um challenger do Circuito Mundial. Esse também será o primeiro grande evento de vôlei de praia mundial que ocorrerá no país – Índia.

Com premiação de trinta mil dólares o torneio, masculino e feminino, será disputado entre os dias 15 e 20 de julho com dezesseis times no qualifying e trinta e dói na chave principal. “Esse é o primeiro evento internacional de vôlei de praia na Índia. Eles têm um grande potencial para receber competições dessa modalidade, tanto que quando anunciamos nossa intenção de realizar esse challenger muitos outros promotores demonstraram interesse também no país”, disse o diretor de vôlei de praia da FIVB, Angelo Squeo.

Chennai é a capital e maior cidade do estado de Tamil Nadu, localizado no sul da Índia. Tem 6,8 milhões de habitantes e é um centro comercial, industrial e portuário localizado na Baía de Bengala. A cidade é a quarta maior do país e figura entre uma das maiores do mundo.

Ana Paula e Shelda escapam de “chave brasileira”

Ao contrário do que aconteceu na última etapa do mundial, em Xangai, quando enfrentaram nas três primeiras rodadas duplas formadas por jogadoras brasileiras Ana Paula e Shelda escaparam na etapa de Seul de um confronto direto contra as compatriotas.

Caso avancem sem derrotas na competição a dupla irá pegar somente as brasileiras no final four, com chance inclusive de enfrentá-las apenas na decisão. Fora da chave onde estão Juliana/Larissa, Renata/Talita e Cris/Andrezza (que no mundial representam a República da Geórgia) Ana e Shelda, caso se mantenham invictas, apenas enfrentarão brasileiras antes da final caso uma dessas três duplas chegue a semifinal pela repescagem.

A dupla formada esse ano para tentar conquistar a segunda vaga brasileira nos Jogos de Pequim irá enfrentar na primeira rodada na Coréia do Sul as fracas Ilustre e Pascua (Filipinas). Confirmando o favoritismo, porém deverão ter mais dificuldades na rodada seguinte, quando pegam a dupla vencedora do jogo entre as alemãs Brink-Abeler/Jurich e as Schwiager, da Áustria.

- Líderes do ranking podem se enfrentar nas quartas

Atualmente com a liderança entre as duplas brasileiras no ranking olímpico Juliana e Larissa poderão ter um novo desafio contra suas rivais Renata e Talita nas quartas-de-final da competição. Para que esse confronto ocorra será necessário que as duas duplas passem sem derrotas pelos seus três primeiros jogos.

As campeãs mundiais estréiam contra uma dupla coreana vinda do qualifying (Song/Woo) e na seqüência pegam as gregas Koutroumanidou/Tsiartsiani ou as russas Uryadova/Shiryaeva. Já Renata/Talita enfrentam Keizer/Vries (Holanda) para depois enfrentarem Wacholder/Turner, dos Estados Unidos, ou as francesas Faure/Sarpaux.

Já Cris e Andrezza terão logo na estréia um jogo difícil contra as australianas Barnett/Cook. Depois pegarão ou as vencedoras, ou as perdedoras, do jogo entre as coreanas Lee e as surpreendentes mexicanas Candelas e Gracia.

Mexicanas surpreendem de novo, agora no quali

Depois de terem sido a grande surpresa do Aberto de Xangai, quando vindas do qualifying chegaram a sétima colocação na etapa, as mexicanas Bibiana Candelas e Mayra Garcia voltaram a surprender, só que dessa vez ainda no qualifying.

A dupla que no ano passado chegou apenas duas vezes, em nove tentativas, a chave principal do Circuito Mundial já igualou a sua marca nessa temporada ao avançarem nessa madrugada a segunda etapa consecutiva. E para conseguir a vaga as mexicanas tiveram que eliminar as cabeças-de-chave número um do qualifying: as brasileiras Maria Clara e Carol.

Vindas de uma vitória com duplo 21-13 sobre as britânicas Boulton/Johns as mexicanas precisaram de três sets para eliminar as brasileiras da disputa. Maria Clara e Carol, que haviam vencido na estréia do qualifying à Moppett/Niemczewska (Canadá) com parciais de 21-12 e 21-14, foram surpreendidas logo no primeiro set com a derrota de 21-16, mas conseguiram empatar o jogo na parcial seguinte com disputado 27 a 25. Foi então que Candelas e Garcia impuseram um 15-6 no tie-break e garantiram uma das oito vagas na chave principal da competição.

Com o resultado Maria Clara e Carol agora focam na etapa de Osaka (Japão), a ser disputada na próxima semana. Enquanto isso suas algozes estréiam no main draw contra as coreanas Eun-A Lee/Meong-Hee Lee tentando repetir o feito da etapa passada, quando na estréia bateram o time um da China - Tian Jia/Wang - por dois a zero.

- Cris e Andrezza se classificam

A única dupla formada por brasileiras que conseguiu classificação foi justamente a que defende outro país no Circuito Mundial.

Cris e Andrezza, que jogam pela República da Geórgia, venceram seus dois jogos e agora disputam a chave principal do torneio. Na estréia do qualifying elas venceram por 2x0 (21-14/21-15) a dupla do Cazaquistão Mashkova e Turichsheva, enquanto no jogo seguinte bateram pelo mesmo placar, só que com parciais de 21-15 e 21-16, as francesas Giaoui/Hamzaoui.

Porém no primeiro jogo do main draw elas terão a difícil missão de bater as australianas Tamsin Barnett e Natalie Cook.

terça-feira, 13 de maio de 2008

Vôlei de praia confirmado em duas competições da América do Sul

Em assembléia encerrada nessa terça-feira em Medellín (Colômbia) ficou decidido que o vôlei de praia irá fazer parte de duas competições esportivas sul-americanas.

A decisão de incluir a modalidade entre as trinta e uma que serão disputadas nos Jogos Sul-Americanos em 2010, na própria Colômbia, foi anunciada pelo comitê organizador dos Jogos na mesma data em que foi apresentado o projeto de construção de uma Vila para os cerca de três mil e quinhentos atletas que participarão da competição, entre os dias 10 e 21 de março.

Na mesma reunião foi aprovada a criação do I Jogos Sul-Americanos de Praia. A intenção da ODESUR (Organização Desportiva Sul-americana) ao criar a segunda competição multiuso de esportes de praia (a primeira ocorrerá ainda esse ano em Bali) é fomentar a pratica esportiva dessas modalidades pelo continente.

Os Jogos serão disputados entre os dias 28 de fevereiro e 08 de março de 2009 nas cidades de Montevidéu e Punta Del leste. Na primeira será montada uma arena multiuso para as competições de Beach Soccer, handebol de praia, rúgbi de 7, tênis de praia, além é claro do vôlei de praia. Já Punta irá receber os atletas da vela, surfe, triatlo, natação e esqui aquático.

Para o presidente da entidade, e também do COB (Comitê Olímpico Brasileiro), a decisão tomada hoje será de grande importância para o continente. “A realização dos Jogos de Praia demonstra que a América do Sul está atenta às tendências do esporte mundial”, disse Carlos Arthur Nuzman.

Virna busca bi-campeonato em São Luiz

Ela conquistou muitos títulos com a seleção brasileira no vôlei de quadra, mas Virna só sentiu o gosto de um título na praia quando disputou no ano passado a etapa challenger de São Luiz.

Por isso, quando entrar na quadra montada na Lagoa de Jansen nessa sexta-feira para a disputa da primeira de quatro etapas challengers a jogadora espera poder novamente o sabor da conquista. “Foram momentos inesquecíveis nesta minha trajetória no vôlei de praia. Tenho grandes amigas que moram em São Luis e todas foram me prestigiar no ano passado. Depois que vencemos, fomos comemorar nos Lençóis Maranhenses, que é um lugar fantástico. Espero repetir o programa neste ano”, disse Virna.

Curiosamente em 2007, quando ainda jogava com Sandra Pires, ela conquistou duas etapas challengers. Já as outras duas foram vencidas por sua atual parceira, Ângela, que na época jogava ao lado de Vivian. “Ano passado ganhamos dois títulos cada, então nesta temporada vamos unir as forças para ganhar os quatro torneios”, completou.

Walsh e May desistem também de etapa do Mundial

Depois de não disputarem a etapa de Charleston da AVP, Walsh e May anunciaram também a desistência da etapa de Seul – válida pelo Circuito Mundial.

Cabeças-de-chave número um do torneio as americanas abriram mão da disputa devido à lesão no ombro direito de Kerri Walsh. A jogadora que foi submetida a uma cirurgia em novembro passado voltou a sentir a articulação na semifinal da etapa de Huntington Beach. Com fortes dores no ombro a decisão do time foi de não disputar a semifinal daquela etapa e de se ausentar da disputa na semana seguinte pelo circuito norte-americano. Agora, elas adiam mais uma vez a estréia na temporada do tour mundial. As atuais campeãs olímpicas não disputaram as etapas de Adelaide (Austrália) e Xangai (China).

Com a decisão as duas deverão participar somente na fase européia da competição, uma vez que o circuito feminino se despede da Ásia na semana que vem em Osaka (Japão). O time norte americano também não está inscrito para essa competição.

Franco e Pedro continuam na briga

Das três duplas que atualmente brigam pela segunda vaga brasileiras no vôlei de praia masculino em Pequim, Franco/Pedro é a que tem mais trabalho a cada etapa. Com apenas a quarta colocação entre as duplas brasileiras no ranking mundial eles precisam disputar a fase de qualificação, e com mais duplas brasileiras no páreo ainda são forçados a disputar o country-quota.

“Estamos fazendo muitas partidas nessas semanas. Isso nos dá ritmo de jogo mas ao mesmo tempo nos cansa mais que os outros”, analisa Pedro Cunha. Mesmo assim, ele e seu parceiro Franco conquistaram mais uma vez de serem os representantes brasileiros no qualifying da etapa de Roseto (Itália).

Nos jogos disputados nessa manhã de terça-feira eles venceram dois desafios para atingir a classificação. Primeiro derrotaram Alisson e Bernardo em quarenta e um minutos de jogo, com parciais de 21-15 e 21-13. Depois enfrentaram, assim como em Praga, à Luizão e Benjamim (que já haviam derrotado Bruno/Billy por 2x1 – 14-21/21-17/15-12) no jogo que valia vaga no quali. Depois de serem derrotados no primeiro set por 2-16, Franco e Pedro suaram a camisa para virar o jogo e vencer a partida em uma hora e dezesseis minutos. Nas duas parciais seguintes eles obtiveram a vitória por um placar apertado (21-19 e 15-13).

Amanhã a dupla estréia no qualifying com horário e adversário a serem definidos.

Maria Clara e Carol avançam ao qualifying

Foi disputado nessa madrugada o country-quota brasileiro para a etapa de Seul do Circuito Mundial Feminino de Vôlei de Praia. O país foi o único a ter duplas disputando essa fase, onde há uma disputa caseira por uma vaga na fase de qualificação.

A disputa verde-e-amarela começou com o confronto entre Leila/Sandra e Ágtaha/Shaylyn. Estreando esse ano no circuito mundial Ágatha e Shaylyn acabaram derrotadas em três sets pelas compatriotas. Depois de vencerem o primeiro set por apertados 21-19, elas foram derrotadas nos dois sets seguintes por 21-13 e 15-11.

Na seqüência as vencedoras desse primeiro confronto jogaram contra as irmãs Maria Clara e Carol, em partida que valia a vaga no qualifying. Apesar de começarem bem, impondo um 21-16, Sandra e Leila, assim como na Austrália, acabaram derrotadas. Nos sets seguintes vitória das filhas de Isabel por 21-16 e 15-10.

Com o resultado elas avançam a fase internacional de qualificação, aonde estréiam a uma hora da manhã contra a vencedora do confronto entre as canadenses Moppett/Niemczewska e as australianas Busch/Smith.

segunda-feira, 12 de maio de 2008

Cook pronta para tentar o bi olímpico

Ela nasceu em Brisbaine, mas atualmente treina em tempo integral no Instituto Australiano de Esportes, em Adelaide. Seu objetivo? Chegar a terceira medalha olímpica e ao bi campeonato nos Jogos.

Essa é Natalie Cook que para Pequim tem o desafio de disputar os Jogos com uma nova parceira. “Tive quatro parceiras e cada uma é diferente”, analisa a jogadora de 33 anos que joga atualmente ao lado de Tamsin Barnett. Sobre os resultados obtidos até agora com sua nova dupla a atleta é categórica: “Tamsin e eu só estamos juntas a um ano e é difícil ficar conhecendo alguém tão intimamente em tão pouco tempo e sobre pressão”.

Para ela a maior dificuldade do relacionamento no time é sempre a forma como colocar seus pontos de vista. Ela disse que a forma com que conversava com Kerri Pottharst (sua companheira na medalha de bronze em Atlanta e no ouro em Sydney) é diferente da que conversa com sua atual parceira. A fórmula para o sucesso na formação do time ela tem na ponta da língua: “Ser honesta e não tomar como algo pessoal. Se você está tentando ganhar o ouro olímpico você tem que dizer coisas que você não gostaria e também ouvir outras que você não queria ouvir”.

Cook acredita que os conflitos com a parceira e comissão técnica são inevitáveis, mas acredita que podem ser superados. “Para mim ser uma campeã olímpica me dá o direito de opinar mais sobre como devem ser as coisas. Eu achava que eles queriam ouvir, mas não queriam. Por isso as vezes me passo como arrogante. É uma linha tênue e por isso uma jornada desafiadora”.

Apesar de todos os desafios internos a jogador que defende essa semana o titulo conquistado na etapa de Seul em 2007 acredita que poderá ter sucesso nos Jogos em agosto. Sobre os adversários ela salienta um que não estará do outro lado da quadra. “Eu não esperava muita complicação, mas estive na China jogando a semanas atrás e a poeira que fica coletada na sua boca é uma prova de que isso será um complicador. Você realmente não sente nada durante os jogos porque está focada, mas depois, e durante todo o outro dia, você sofre as conseqüências disso”, explicou.

AVP assina com mais uma empresa para licença de produtos

A associação norte-americana de vôlei de praia é uma das mais organizadas do mundo. Além de controlar o principal circuito dos Estados Unidos a AVP é uma marca lucrativa que inclui desde arrecadação com eventos ligados ao circuito, até com direito de transmissão de TV e internet além de produtos licenciados.

E são justamente esses últimos uma da maior fonte de renda da associação. Com diversos tipos de produtos com a marca da AVP a entidade inova ao anunciar mais um acordo com uma empresa. Foi divulgado essa semana o contrato com a Gogie Girl, líder em headwear feminino esportivo.

Pelo contrato firmado até 2011 a empresa irá produzir chapéus e viseiras com a marca oficial da AVP, mas com o toque característico da marca: o uso de cristais Swarovski para um apelo mais feminino. Os produtos serão vendidos pelo site oficial (www.avp.com) e em tendas montadas em todas as etapas do circuito norte-americano.

“Gogie reconhece a popularidade do vôlei de praia e trabalhar com a AVP faz todo sentido ao nosso planejamento de marketing”, analisa Vicky Waldorf, co-fundadora da marca. “Com aproximadamente 50% dos fãs da AVP sendo do sexo feminino Gogie Girls acredita que marcará sua presença no segmento de assessórios esportivos para mulheres”, completou.

Essa é a segunda grande ação de marketing da empresa na área esportiva. No começo do ano a Gogie assinou com a LPGA, circuito profissional norte-americano de golfe feminino.

Alemanha completa a festa com vitórias no masculino

Depois de assistir uma final caseira na segunda etapa do Circuito Europeu, a Alemanha deixa a cidade de St. Polten na Áustria com mais dois motivos para comemorar. Além de conquistar também o título da chave masculina o país conquistou vitória na outra partida de hoje, valendo a disputa do terceiro lugar.

Com sua principal dupla (Brink/Dieckmann) disputando a etapa de Praga do Circuito Mundial, onde ficaram com a medalha de prata, o caminho ficou livre para novos talentos germânicos aparecerem. Foi o caso de Kay Matysik e Stefan Uhmann que chegaram a sua primeira decisão de etapa européia, contra os também estreantes em decisões Gosh/Horst.

Apesar de toda a confiança dos anfitriões Alexander Horst e Florian Gosh, que chegaram a apontar-se como favoritos ao título pelo “fator casa”, a dupla não conseguiu manter o bom desempenho da semifinal – quando bateram os espanhóis Pienda/Marco por dois a zero – e foram derrotados pelos alemães com parciais de 21-11 e 21-17. Para chegar a essa final Matysik/Uhmann haviam vencido na semifinal os compatriotas Klemper/Koreng com as mesmas parciais da final, só que em ordem invertida (21-17/21-11).

- País lidera o ranking europeu

Mas a festa alemã havia começado antes mesmo da final. Duas horas antes da disputa pelo ouro Klemperg e Koreng entraram em quadra para disputar o terceiro lugar da etapa contra os espanhóis Pineda/Marco.

Apesar de terem saído perdendo no primeiro set (18-21) eles tiveram a calma necessária para retomar o controle da partida e vencer os dois sets seguintes (21-15/15-09) e conquistarem o bronze.

Após duas etapas disputadas a Alemanha domina também o ranking europeu. Tanto no masculino, com os dois medalhistas na Áustria, quanto no feminino, com Goller/Ludwig e Pohl/Rau, o país ocupa as duas primeiras colocações da lista de melhores duplas da Europa.