terça-feira, 7 de outubro de 2008

E a melhor do mundo vai parar

Ainda não foi dessa vez que a jogadora Misty May Treanor anunciou a sua aposentadoria, mas a jogadora que não está disputado a etapa de Dubai do Circuito Mundial de Vôlei de Praia – sua parceira Kerri Walsh está jogando com Nicole Branagh (que em Pequim jogou ao lado de Elaine Youngs) – terá que ficar nove meses parada.

O motivo da longa ausência nas quadras não será também pela gravidez anunciada como desejo recente da jogadora. A causa do afastamento foi uma lesão por ruptura no Tendão Calcanear, enquanto a mesma ensaiava para participar do programa “Dançando com as estrelas” que a afastou da continuação da temporada 2008. May deverá ser operada ainda essa semana (a lesão ocorreu na última sexta-feira).

Essa lesão ocorre normalmente após uma dorsiflexão acentuada (movimento que aproxima o pé da canela) e o atleta sente como se tivesse levado uma pedrada no tendão atingido – por isso a mesma é conhecida como síndrome da pedrada. Apesar da dor súbita, muitas vezes logo depois do evento a dor é bastante diminuída com o atleta apresentando apenas dificuldade para caminhar e impossibilidade de fixar na ponta dos pés.

O diagnóstico clínico é realizado verificando-se a presença de edema local (inchaço), dor à palpação e com muita freqüência um “defeito” no local da ruptura. O exame mais utilizado para a confirmação é o teste de Thompson – paciente deitado de barriga para baixo faz-se compressão na panturrilha com a mão e se não houve a flexão plantar (movimento de ponta dos pés) ou está bastante diminuída é sinal positivo.

Aos 31 anos de idade a jogadora garantiu que voltará as quadras, e quem sabe ao programa em uma nova edição. Sua recuperação pode coincidir com uma gravidez, e a volta ao que se fala nos bastidores poderá até mesmo acontecer com uma nova parceira.

Medalhistas olímpicos em busca de patrocínio

Apesar da medalha de prata nos Jogos Olímpicos de Pequim Márcio/Fábio Luiz estão sem patrocinador. A dupla que tinha a marca Medley como apoiador não renovou contrato com a empresa farmacêutica.

A dupla anunciou o fim do patrocínio na entrevista coletiva dos representantes brasileiros em Pequim logo no dia da volta da capital chinesa. Apesar dos atletas terem justificado o fim do patrocínio apontado problemas financeiros da empresa, a marca continua apoiando as duplas Maria Clara/Carol e Pedro/Harley.

Os jogadores aproveitaram inclusive um encontro com o Ministro dos Esportes para solicitar ajuda do governo na busca de um novo patrocinador. O pedido dos atletas foi recebido pelo ministro com a promessa de que ajudaria os dois.

sábado, 19 de julho de 2008

Família de Isabel não tem bom dia em Marselha

A ex-jogadora de vôlei Isabel chegou à arena montada em Marselha com a expectativa de viver um grande dia. Com seus três filhos disputando as semifinais da competição Isabel esperava acabar o sábado comemorando as vagas nas finais.

Mas, a primeira frustração do dia veio com a derrota de suas filhas e comandadas Maria Clara/Carol. A técnica, que pelas regras da FIVB tem que assistir o jogo das arquibancadas e sem participar com instruções , sofreu com a derrota apertada no primeiro set (21-23) mas vibrou quando as brasileiras empataram o jogo na seqüência (21-16). Mas, no set desempate o jogo foi dominado pelas alemãs Pohl/Rau que venceram por 15-11. A vaga na decisão rendeu ainda as alemãs à nona colocação no ranking olímpico, ultrapassando assim as australianas Cook/Barnett.

Mas a grande derrota para a família Salgado no dia foi a do filho Pedro Solberg. Em jogo que valia a chance de continuar sonhando com a vaga olímpica ele e seu parceiro Harley foram derrotados pelos compatriotas Márcio/Fábio Luiz por dois sets a zero, com parciais de 21-17 e 21-14. O resultado garantiu aos vencedores a última vaga brasileira no vôlei de praia em Pequim.

Da arquibancada, ao lado das duas filhas e do genro Gustavo Kuerten a ex-jogadora não conseguia disfarçar a tristeza em ver o sonho do filho chegar ao fim. Pedro, que se juntou com Harley no início de 2007, chegou a diminuir a diferença que no início dessa temporada era de 600 pontos para apenas 100, mas na hora da decisão a maior experiência dos campeões mundiais em 2005 fez a diferença.

O resultado mostrou, assim como no feminino – quando Renata/Talita ficaram com a segunda vaga deixando de fora Ana Paula/Shelda -, que as duplas que se juntaram a mais tempo e fizeram um planejamento longo até a conquista da vaga acabaram se classificando.

Márcio e Fábio Luiz conquistam última vaga em Pequim

O Brasil conheceu agora a pouco a sua última dupla classificada para os Jogos Olímpicos de Pequim. Depois da confirmação das vagas de Juliana/Larissa e Renata/Talita no feminino, e de Ricardo/Emanuel no masculino, Márcio e Fábio Luiz garantiram matematicamente a sua vaga.

A conquista veio com a vitória na semifinal do Aberto de Marselha, última etapa que ainda contava ponto para o ranking olímpico. E a comemoração teve um gosto especial já que eles derrotaram justamente os seus concorrentes pela vaga: Pedro Solberg e Harley. Com o resultado os perdedores não aumentaram sua pontuação, e os vencedores ainda somam no mínimo mais sessenta pontos aos seus 4.740.

O jogo acabou sendo menos disputado que o esperado. Visivelmente nervosas as duas duplas começaram a partida arriscando pouco, até que uma seqüência de quatro pontos de Márcio/Fábio Luiz (09-05) lhes rendeu a vantagem necessária para fechar o primeiro set (21-17). O destaque da primeira parcial foi o forte bloqueio de Fábio Luiz, que garantiu cinco pontos para o seu time.

No set seguinte porém foi a vez de Márcio se destacar. Ligado na defesa o jogador proporcionou diversos contra-ataques para a sua dupla, que venceu até com certa facilidade (21-14). Mesmo tendo aberto uma boa vantagem no início do segundo set (05-02), Márcio e Fábio Luiz ainda permitiram a reação dos adversários que empataram o set em cinco pontos. Mas, a partir daí o aproveitamento de contra-ataque da dupla vencedora fez a diferença. Quando já dominavam o set em 17-09 os representantes brasileiros em Pequim ainda foram beneficiados por uma série de erros não forçados dos adversários, que a essa altura já demonstravam sinais de abatimento.

Autor do último ponto da partida, Fábio Luiz não conseguiu segura a emoção e desabou ainda em quadra visivelmente emocionado. A conquista da vaga foi dedicada pelo jogador ao seu parceiro: “Estou muito feliz em ir pra Olimpíada. Mas, muito mais feliz em colocar o Márcio lá”. Por sua vez Márcio lembrou do esforço da dupla para manter a vaga, mesmo tendo a pressão dos últimos resultados dos rivais. “Não era possível trabalhar tanto desde o início do ano e não chegar a uma final. Chegamos na hora certa”, comemorava o jogador.

Duelo pode valer vaga em Pequim

O mais esperado confronto brasileiro no Aberto de Marselha vai acontecer pela segunda vez no torneio, e dessa vez poderá decidir a última vaga brasileira no torneio de vôlei de praia em Pequim. Márcio/Fábio Luiz e Pedro/Harley se enfrentam em uma das semifinais da competição. Se os campeões mundiais de 2005 vencerem garantem matematicamente a classificação à Olimpíada, já se der Pedro/Harley eles precisarão de mais uma vitória para ficar com a vaga.

Invictos na competição Pedro/Harley entram como favoritos na disputa pois já venceram os rivais na terceira rodada por dois sets a zero. Para se classificar ao final four a dupla bateu os alemães Matysik/Uhmann por dois sets a um, com parciais de 21-14, 22-24 e 15-07.

Já Márcio e Fábio Luiz tiveram que disputar dois jogos hoje na repescagem para chegar a semifinal. Primeiro eles bateram os noruegueses Kjemperud/Skarlund (2x1 – 13-21/21-18/15-01) e depois, também em três sets, eliminaram os compatriotas Franco/Benjamin (19-21/21-18/15-1) que terminaram a competição com o quinto lugar

- Bruno/Billy ficam em sétimo

A quarta dupla brasileira que disputou a segunda parada na França do Circuito Mundial, Bruno/Billy, acabou ficando com o sétimo lugar.

Depois de terem vencido ontem os brasileiros naturalizados pela Geórgia, Renatão/Jorge, por 2x1 (22-20/21-23/15-12) os brasileiros foram eliminados, no primeiro jogo de hoje, pelos portugueses Pedrosa e Rosas. Em um jogo bastante disputado os europeus levaram a melhor no primeiro set (21-17), mas acabaram perdendo o segundo (19-21) o que levou a decisão para o tie-break. No set desempate a experiência dos portugueses acabou favorecendo a dupla que fechou o jogo com 18-16.

sexta-feira, 18 de julho de 2008

Pedro/Harley vencem rivais e estão a três vitórias de Pequim

No principal duelo brasileiro do dia Pedro/Harley não deram chances aos seus rivais pela vaga olímpica Márcio/Fábio Luiz e seguem invictos na competição. A vitória, reflexo da boa fase da dupla, renova as esperanças dos dois de conseguirem na última etapa ultrapassar os compatriotas na luta pela última vaga brasileira em Pequim.

O jogo, que teve quarenta minutos de duração, foi resolvido em dois sets. Com fáceis 21-14 e 21-12, Pedro e Harley se classificaram para as quartas-de-final do torneio, onde enfrentarão os alemães Matysik e Uhmann. Essa será a primeira vez que as duplas se enfrentam.

Já Márcio e Fábio Luiz precisaram agora vencer dois jogos eliminatórios para fazer a semifinal, com o vencedor do jogo de Pedro/Harley. Na estréia na repescagem, ainda hoje, os brasileiros passaram pelos franceses Cés/Ces com dois sets a um, parciais de 23-21, 17-21 e 15-11.

- Franco e Benjamin a um jogo do final four

A outra dupla brasileira que segue invicta na competição, Franco/Benjamin, venceu os brasileiros naturalizados pela República da Geórgia Renatão e Jorge em três sets. Depois de terem perdido o primeiro set por 21-14, Franco e Benjamin reagiram e fecharam o jogo com 21-19 e 16-14.

O resultado jogou os “estrangeiros” para a repescagem, e eles enfrentaram outra dupla brasileira – Bruno/Billy – que já haviam vencido os franceses Deulofeu/Salvetti (21-18/21-19) e os japoneses Asahi/Shiratori (14-21/21-15/15-10). E a duas primeiras vitórias do dia parecem ter empolgado a dupla brasileira que venceu o confronto “caseiro” também (2x1 – 22-20/21-13/15-12).

Brasileiras atropelam adversárias e ainda podem fazer a final

Continua de pé o sonho brasileiro de fazer a final do torneio feminino do Aberto de Marselha. Com três vitórias hoje, as duas duplas brasileiras estão mais perto de disputar o título.

Na chave dos vencedores Maria Clara e Carol precisaram de apenas uma vitória para se classificar à semifinal da competição. Contra as alemãs Brink-Abeler e Jurich as irmãs precisaram de menos de quarenta minutos para impor as parciais de 21-16 e 21-19 e garantir a vaga no final four.

Já a outra dupla, Maria Elisa/Val, precisa ainda ganhar mais uma partida na repescagem para avançar a semi. As brasileiras entraram em quadra duas vezes hoje, e sem perder um set conseguiram vaga na final da chave dos perdedores. No primeiro jogo do dia elas bateram a dupla espanhola Alcon e Matveeva (21-18/21-19) e na seqüência passaram pelas suíças Zumkehr e Graessli (21-14/21-15). Amanhã o desafio será passar pela dupla alemã que foi derrotada por Maria Clara/Carol para conseguir disputar uma das semifinais da competição.

quinta-feira, 17 de julho de 2008

Campeões na Suíça jogam na Estônia essa semana

Enquanto as principais duplas masculinas disputam a etapa de Marselha do Circuito Mundial, outros brasileiros vão tentando somar pontos no ranking mundial através dos challengers. Foi assim há duas semanas na Suíça, quando o Brasil dominou a competição e teve duas duplas na final, e será assim essa semana na cidade de Parnu, na Estônia.

Campeões em Brno, Alison e Bernardo estréiam amanhã contra os canadenses Zbyszewski/Lelliott. Apesar de serem um dos favoritos ao título a dupla sabe que terá uma caminhada difícil até a final. “Esta etapa será ainda mais difícil, mas estamos bastante animados. Temos que manter a concentração, focar nas partidas e jogar o máximo que sabemos”, analisou Alison.

A outra dupla brasileira que disputa o torneio será Beto Pitta/Lipe. Eles estréiam contra uma dupla do Cazaquistão – Sidorenko e Yakovlev. Caso vençam as partidas de estréia, os brasileiros se enfrentam ainda amanhã, na segunda rodada da competição.

Maria Elisa e Val ganham duas na repescagem e seguem na disputa

Depois de terem perdido na estréia do Aberto de Marselha e de terem se recuperado com uma vitória ainda ontem na repescagem, Maria Elisa e Val voltaram a vencer duas partidas hoje e seguem firme na disputa pelo título.

No primeiro jogo de hoje um susto, quando as brasileiras perderam o primeiro set (19-21) para as holandesas Kadijk/Mooren. Mas Maria Elisa/Val conseguiram se recuperar na partida e fechar o jogo com as parciais de 21-17 e 15-12. Já a segunda partida do dia foi vencida com mais facilidade. A vitória por dois sets a zero (21-16/21-19) sobre as cubanas Crespo e Ribalta garantiu à dupla ao menos a nona colocação no torneio.

Amanhã elas voltam a enfrentar mais jogos eliminatórios. O primeiro desafio será contra as espanholas Alcon e Matveeva, as sete da manhã no horário de Brasília.

Duelo olímpico nas areias de Marselha

Que eles são a principal atração brasileira na etapa de Marselha do Circuito Mundial não há duvida, mas um confronto direto entre Márcio/Fábio Luiz e Pedro/Harley promete ser uma atração a parte nas areias de Marselha. E esse duelo, que ainda pode se repetir novamente no decorrer da disputa, tem data e hora marcada: amanhã as oito da manhã, no horário de Brasília.

Com duas vitórias para cada equipe hoje os brasileiros se enfrentam nas oitavas-de-final do torneio, mas quem perder o duelo ainda poderá seguir na competição através da repescagem. Harley e Pedro, que precisam vencer a etapa e ainda contar com um mal resultado dos compatriotas, venceram com facilidade seus jogos: Primeiro bateram os noruegueses Ingeborgrud/Hordvik (2x0 – 21-08/21-10) e em seguida foram os algozes dos japoneses Asahi/Shiatori (2x0 – 21-11/21-15). Márcio e Fábio Luiz também avançaram sem perder um set. Na estréia eles bateram os tchecos Kubala e Dumek (21-09/21-19) e na segunda rodada passaram pelos franceses Deulofeu e Salvetti (21-15/21-14).

O jogo de amanhã coloca uma das duplas mais perto do objetivo, mas mesmo os derrotados ainda terão chances. Caso as duas duplas vençam todos seus jogos depois do de amanhã, eles voltam a se enfrentar na semifinal da competição.

- Bruno e Billy seguem vivos na repescagem

Derrotados na primeira rodada da competição, quando perderam de virada para os franceses Gagliano/Dugrip (1x2 – 21-16/19-21/13-15), Bruno Schimdt e Billy se recuperaram na estréia na repescagem.

Também de virada eles conseguiram a vitória sobre os mexicanos Miramontes e Virgen, em um jogo disputadíssimo que teve duração de uma hora e doze minutos. Depois de perderem o primeiro set por 24 a 26, os brasileiros reagiram na partida e conseguiram vencer os dois sets seguintes com as parciais de 22-20 e 15-13.

Campeão do ano passado estréia com duas vitórias

Defendendo o título que conquistou ano passado, ao lado de seu parceiro oficial Pedro Cunha – que não joga esse ano devido uma lesão -, Franco começou bem o torneio nessa temporada. Jogando ao lado de Benjamin ele conseguiu duas vitórias hoje e garantiu vaga nas oitavas-de-final.

O jogo de estréia foi fácil. Em trinta e nove minutos os brasileiros bateram os austríacos Hupfer e Schorffenegger por dois sets a zero, com parciais de 21-16 e 21-11. Já na rodada seguinte, com a torcida toda contra, eles precisaram de três sets para manter-se na chave dos vencedores. Depois de ter vencido o primeiro set por 21-17, a dupla deixou os franceses Cés/Ces reagirem no segundo (13-21) e precisou ir para o set desempate, vencido pelos brasileiros por 15-13.

Amanhã, pelas oitavas-de-final, eles têm um duelo caseiro. É que do outro lado da quadra estarão Renatão/Jorge, que no mundial jogam pela República da Geórgia.

Brasileiras avançam em Marselha

Duas vitórias hoje cedo garantiram a permanência das duas duplas brasileiras que disputam a chave feminina do Aberto de Marselha.

Em jogo de vida ou morte Maria Elisa e Val conseguiram bater as holandesas Kadijk/Mooren de virada e continuam na repescagem. Depois de perderem o primeiro set por 19-21 as brasileiras reagiram e confirmaram a vitória com parciais de 21-17 e 15-12. Agora elas enfrentam as cubanas Crespo e Ribalta, em mais uma partida eliminatória.

Já Maria Clara e Carol seguem firmes de forma invicta na chave dos vencedores. Apesar de ter a torcida contra, e de terem perdido o segundo set por 16-21 – após terem ganho o primeiro por 21-18 – as irmãs mantiveram a calma e venceram as francesas Giauoi e Hamzaoui com 15-12 no tie-break. Agora elas tentam devolver a derrota sofrida no último dos quatro confrontos que já tiveram contra as alemãs Brink-Abeler/Jurich para garantir vaga na semifinal do torneio. A partida será realizada apenas nessa sexta-feira, ainda sem hora marcada.

quarta-feira, 16 de julho de 2008

Oponentes na luta por Pequim caem no mesmo lado da chave

O que promete ser o principal duelo brasileiro no Aberto de Marselha do Circuito Mundial de Vôlei de Praia pode acontecer já no segundo dia de disputa do torneio. Com a definição das trinta e duas duplas participantes, as quatro parceiras brasileiras acabaram bem distribuídas na chave, mas Márcio/Fábio Luiz e Pedro/Harley – únicas duplas que ainda disputam a última vaga brasileira em Pequim – acabaram ficando do mesmo lado.

Ao contrário de Bruno/Billy e Franco/Benjamin, que se cruzariam através da chave dos vencedores apenas nas quartas-de-final da competição, Márcio/Fabio Luiz e Pedro/Harley, se vencerem as duas partidas dessa quinta-feira, se pegam já na terceira rodada. O provável confronto entre os compatriotas ainda não definiria a vaga olímpica, uma vez que os perdedores ainda disputariam a repescagem. Mas, se ocorrer, o jogo promete ser um dos mais eletrizantes de toda a competição.

Cabeças-de-chave número dois, Pedro Solberg e Harley estréiam contra os noruegueses Ingeborgrud/Hordvik. Caso avancem a segunda rodada com vitória, terão pela frente os vencedores do confronto entre Asahi/Shiratori (Japão) e Kulinich/Dyachenko (Cazaquistão). Já Márcio e Fábio Luiz pegam Kubala e Dumek (República Tcheca) na primeira rodada, e depois terão – caso vençam na estréia – um confronto contra os canadenses Cadieux/Heese ou os franceses Deloufeu/Salvetti.

Do outro lado da chave, Bruno e Bily terão a difícil estréia contra os donos-da-casa Gagliano/Dugrip, enquanto Franco/Benjamin pegam os austríacos Hupfer/Schroffenegger.

Apesar da má fase, Márcio/Fábio Luiz acreditam na vaga

Sem ganhar um título desde o Grand Slam de Berlim, ano passado, Márcio e Fábio Luiz ainda continuam na frente da disputa pela segunda vaga brasileira masculina nos Jogos Olímpicos de Pequim. Mas, a diferença que no início desse ano era de seiscentos pontos agora está em apenas cem.

Logo atrás estão Pedro Solberg e Harley, que se juntaram no início de 2007 e na atual temporada já levaram o título na China, Austrália e Itália. Por isso toda a tensão dos campeões mundiais em 2005 para essa última etapa que conta pontos para o ranking que define os classificados a Pequim. Apesar da má fase a dupla acredita na classificação. “Nós estamos focados nisso, e tenho certeza de que sairemos de Marselha pra nos preparar nesse restinho de tempo para os Jogos”, comenta confiante Márcio.

Para a dupla uma vaga na decisão na cidade francesa carimba o passaporte da dupla para a Olimpíada, mas um resultado diferente do título na etapa por parte dos oponentes também os garante em Pequim. Mesmo assim Fábio Luiz não que se preocupar com os resultados dos outros jogos: “Temos de fazer o nosso, sem pensar nos outros”. O atleta acredita ainda que mesmo em uma etapa esvaziada, já que muitas duplas já classificadas optaram em não disputar o torneio, o nível de dificuldade encontrado em quadra será grande. “Não são apenas os brasileiros, outras duplas ainda dependem dos pontos da etapa para se garantir na China. Ou seja, praticamente todos darão 100%”, completou.

Além das duas duplas que ainda disputam a vaga brasileira em Pequim, mas outras duas duplas brasileiras jogam a chave principal em Marselha. Franco, que joga ao lado de Benjamin por conta de uma lesão no pé de seu parceiro oficial Pedro Cunha, é considerado um dos possíveis adversários a complicar o caminho dos que ainda brigam pela vaga. Ainda, Bruno e Billy garantiram agora a pouco – com a vitória por 2x0 (21-07/21-10) sobre os belgas Fabian/Christophe – uma das oito vagas no torneio disputadas no qualifying.

Irmãs passam invictas pelo primeiro dia

Cabeças-de-chave número um da etapa de Marselha do Circuito Mundial, as irmãs Maria Clara e Carol confirmaram o favoritismo e avançaram as oitavas-de-final do torneio com duas vitórias hoje.

A estréia foi fácil, apesar de terem enfrentado uma dupla local. Em apenas trinta minutos as jogadoras cariocas impuseram as parciais de 21-09 e 21-10. Mas, na seqüência as adversárias eram consideradas mais difíceis. Mesmo assim as brasileiras conseguiram outra vitória por dois sets a zero, parciais de 21-17 e 21-13, sobre as holandesas Kadjik e Mooren.

A surpresa ficou por conta da derrota na estréia da outra dupla brasileira na disputa. Maria Elisa e Val chegaram a ganhar o primeiro set (21-17), mas tomaram a virada (17-21/11-15) e acabaram derrotadas pelas suíças Zumkehr e Graessli. Agora elas precisam disputar toda a repescagem sem poder perder novamente. A estréia na chave dos perdedores será ainda hoje contra a dupla das Filipinas Ilustre e Pascua.

Bruno e Billy tentam ser quarta dupla em Marselha

Ao contrário da disputa no feminino, onde com a desistência de Ana Paula/Shelda o país está sendo representado apenas por duas duplas, na chave masculina o Brasil poderá ter quatro duplas disputando o título.

Para isso, Bruno e Billy precisam se classificar à chave principal através do qualifying – fase preliminar da disputa. E a dupla já deu o primeiro passo para isso. Sem dar chances à dupla do Emirado Árabes Unidos – Khalid/Mohammad – os brasileiros precisaram de apenas vinte e seis minutos para avançar a segunda, e última, rodada da fase de qualificação. Com as parciais de 21-08 e 21-07 os brasileiros se prepararam agora para enfrentar a dupla belga Fabian/Christophe.

Mas, para o Brasil, a principal atração da segunda parada do Circuito Mundial na França é a disputa pela última vaga nos Jogos Olímpicos de Pequim. Com as duas duplas femininas definidas para os Jogos – Juliana/Larissa e Renata/Talita estão classificadas – e Ricardo/Emanuel garantidos na disputa pelo bi olímpico resta apenas uma vaga. Por enquanto ela está nas mãos de Márcio/Fábio Luiz, mas depois de reduzir de 600 para apenas 100 pontos a vantagem dos adversários, Pedro e Harley entram em quadra tentando passar os compatriotas no ranking. Para isso eles precisam vencer a etapa e torcer para que os adversários não cheguem ao pódio.

domingo, 6 de julho de 2008

Alison/Bernardo vencem final brasileira na República Tcheca

Na final da etapa challenger do mundial, disputada esse domingo em Brno (República Tcheca), Alison e Bernardo ganharam seu primeiro título na temporada.

Eles derrotaram a surpresa brasileira na final. Depois de terem vencido a semifinal contra Bruno/Billy (2x0 – 22-20/21-17), Beto Pitta e Lipe acabaram não resistindo na decisão a maior experiência de Alison/Bernardo. Os campeões precisaram de quarenta e seis minutos para vencer a partida, com parciais de 21-13 e 21-17.

Na decisão do terceiro lugar, Bruno e Billy acabaram derrotados pelos canadenses Simek/Kruger, com duplo 21-18, e acabaram impedindo a festa brasileira de forma completa no pódio.

sábado, 5 de julho de 2008

Renata/Talita encerram caminha olímpica com quarto lugar

Renata e Talita se despediram hoje do Circuito Mundial com o quarto lugar conquistado na etapa russa. A dupla que agora volta ao Brasil para se preparar para os Jogos Olímpicos só voltará a disputar uma etapa do mundial na Áustria, pouco antes da estréia em Pequim.

Na disputa pelo terceiro lugar as brasileiras acabaram derrotadas pelas chinesas Tian Jia e Wang. Após um primeiro set dominado pelas orientais (21-16), Renata e Talita chegaram a lidera boa parte do segundo, mas no finalzinho – após estarem vencendo por 19-17 – acabaram tomando a virada (23-21).

O resultado definiu as seis primeiras duplas cabeças-de-chave nos Jogos Olímpicos de Pequim. Renata/Talita irão encabeçar o grupo F da competição, enquanto Juliana/Larissa estarão a frente do grupo C. Ambas conhecerão suas adversárias através de sorteio que será realizado no dia 26 de julho, em Gstaad (Suíça).

Vitórias suadas garantem brasileiros nas quartas-de-final

Foram duas vitórias em três sets, mas o Brasil garantiu duas duplas nas quartas-de-final da etapa russa do Circuito Mundial de Vôlei de Praia Masculino.

Com mais de uma hora de disputa nos dois jogos, Ricardo e Emanuel venceram os norte-americanos Fuerbringer/Jennings e Franco/Benjamin passaram pelos alemães Reckermann/Urbattzka. Os campeões olímpicos venceram o primeiro set do seu jogo (21-19), mas acabaram derrotados no seguinte (21-23) e tiveram que confirmar a vitória no tie-break (15-10). Já Franco e Benjamin tiveram que virar a partida, após serem derrotados no primeiro set por 21-15. Na seqüência do jogo os brasileiros impuseram as parciais de 21-12 e 15-11.

Os próximos desafios, que vale vaga nas semifinais da competição, serão contra alemães e chineses. Enquanto Franco/Benjamin pegam Xu/Wu pela primeira vez, Ricardo e Emanuel terão um tira-teima contra Brink/Dieckmann – em doze jogos disputados entre as duplas foram seis vitórias para cada lado.

Dupla disputará o bronze contra as chinesas

Ainda não foi dessa vez que Renata/Talita chegaram a uma decisão de Grand Slam (etapa do Circuito Mundial com premiação maior). A dupla brasileira foi derrotada na semifinal e disputará agora o bronze.

No jogo que abriu a rodada do feminino nesse sábado, Renata e Talita foram derrotadas pelas norte-americanas Branagh/Youngs. As adversárias dominaram a partida e conseguiram fechar o jogo em trinta e sete minutos, com parciais de 21-17 e 21-14. Com o resultado as vice-líderes do ranking mundial voltarão a quadra para a disputa do bronze.

Tentando chegar ao pódio na capital russa, as brasileiras irão enfrentar a principal dupla chinesa: Tian Jia/Wang. Essa será a décima vez que as duplas se enfrentam, e Renata/Talita levam pequena vantagem no confronto – são cinco vitória e quatro derrotas. Nessa temporada esse duelo ocorreu apenas uma vez, na primeira etapa do ano – em Adelaide (Austrália) – e a vitória ficou com as brasileiras por dois sets a zero (21-19/21-17).

Derrotas nas oitavas adia disputa olímpica

Ainda não foi na Rússia que ficou definida qual dupla ocupará a última vaga brasileira em aberto pros Jogos Olímpicos de Pequim – Ricardo/Emanuel, Juliana/Larissa e Renat/Talita já estão matematicamente classificados.

Com as derrotas de Márcio/Fábio Luiz e Pedro/Harley nas oitavas-de-final do Grand Slam de Moscou a definição ficou para a última etapa que vale pontos para o ranking olímpico, que será disputada entre os dias 15 e 20 desse mês em Marselha (França). Márcio e Fábio Luiz foram derrotados pelos norte-americanos Rogers/Dalhausser (2x0 – 21-18/21-15), enquanto Harley e Pedro não passaram pelos alemães Klemperer/Koreng (2x0 – 21-19/25-23).

O resultado manteve a diferença de cem pontos entre as duplas, favorável a Márcio e Fábio Luiz. Os campeões mundiais de 2005 precisam agora chegar a decisão da etapa francesa para garantir matematicamente sua classificação. Já Pedro/Harley precisam ganhar a etapa e torcer para que os rivais não cheguem a decisão.

sexta-feira, 4 de julho de 2008

Renata/Talita chegam a semifinal e garantem vaga em Pequim

A vitória sobre as compatriotas Maria Elisa/Val foi duplamente comemorada por Renata e Talita. Com o resultado (2x0 – 21-18/21-19) a dupla chegou a sua primeira semifinal de um Grand Slam na história e confirmou, junto com a eliminação de Ana Paula/Shelda, matematicamente a segunda vaga brasileira em Pequim.

O jogo entre as brasileiras foi bastante disputado, com alternâncias de liderança no placar. No primeiro set a partida seguiu empatada até oito pontos, quando Maria Elisa e Val conseguiram abrir vantagem (10-08). Mas, logo em seguida, Renata e Talita retomaram a frente do placar (13-12) e administraram o resultado até fechar em 21-18. No set seguinte, porém, foi que a dupla derrotada teve a maior chance de levar o jogo para o tie-break. Após estarem vencendo por 05-02 e tomarem a virada para 07-05, Maria Elisa/Val voltaram a abrir vantagem no marcador (16-13), mas a experiência de Renata/talita pesou nessa hora e elas viraram o jogo e fecharam a partida em 21-19.

O resultado foi ainda mais importante já que somou pontos para a dupla no ranking olímpico, e com a desclassificação de Ana Paula/Shelda (2x0 – 21-16 e 21-15 para as chinesas Xue/Zhang-Xi) garantiu Renata/Talita como a segunda dupla brasileira nos Jogos de Pequim.

Amanhã elas voltam à quadra central de Moscou para disputarem as finais. O primeiro desafio será contra as americanas Barnagh/Youngs, e o jogo vale a quinta colocação do ranking que define os cabeças-de-chave nas Olimpíadas de Pequim.

Brasileiros fazem bonito na República Tcheca

Não é só em Moscou, onde está sendo disputado o quarto Grand Slam da temporada, que o Brasil teve um dia de vitórias entre os homens. Em Brno, na República Tcheca, três duplas brasileiras venceram seus compromissos de hoje e também estão nas oitavas-de-final do torneio.

Cabçe-as-de-chave número seis do torneio, Bruno e Billy precisaram entrar em quadra apenas uma vez para confirmar a classificação. Jogando contra a dupla da Eslováquia Varga/Litva eles tiveram certa dificuldade em conseguir a vitória. Depois de perderem o primeiro set (23-21) a dupla reagiu e venceu o segundo por 21-13. Mas o set desempate foi emocionante, com a vitória vindo por 16-14.

Já as outras duas duplas tiveram que enfrentar dois adversários nessa sexta. Alison e Bernardo não tiveram dificuldades para vencer os canadenses Binstock/Redmann (2x0 – 21-08/21-16) e depois os tchecos Biza/Svoboda (2x0 – 21-07/21-14). Beto Pitta e Lipe, porém, encontraram resistência de Grotowski/Weaver (Inglaterra) – 2x0 21-14/25-23 – e dos austríacos Hupfer/Schroffenegger (2x1 – 21-09/18-21/15-12.

Para avançarem as quartas-de-final, Bruno/Billy precisam vencer os irmãos tchecos Kufa. Alison/Bernardo jogam contra Simek/Kruger (Canadá) e Beto Pitta/Lipe pegam os suíços Gabathuler/Wenger.

Brasil garantindo 100% nas oitavas masculinas

Com apenas uma equipe pré-classificada a segunda rodada da fase eliminatória do Grand Slam de Moscou – Pedro/Harley ficaram com o primeiro lugar do seu grupo – o Brasil precisou passar por três jogos eliminatórios para assegurar as quatro duplas nas oitavas-de-final da competição.

Únicos a jogar apenas uma partida hoje, Pedro e Harley garantiram a vaga antecipada ao derrotarem os americanos Gibb/Rosenthal (2x0 – 21-17/27-25) no jogo que valia a liderança do grupo O. “Jogamos muito bem. Estamos recuperando nossa confiança, e acho que isso é o que está fazendo a diferença neste torneio”, comentou Harley. A dupla enfrenta agora os alemães Klemperer/Korneg, dupla para qual eles perderam três dos quatro jogos já disputados.

Já os outros brasileiros precisaram passar pela repescagem da fase eliminatória. Depois de uma estréia pífia, quando sofreram duas derrotas na quinta-feira, Ricardo e Emanuel reagiram hoje e ao vencerem o jogo contra Doppler/Gartmayer, da Áustria, (2x0 – 21-10/21-14) conseguiram o terceiro lugar do seu grupo. A dupla teve que voltar a quadra novamente hoje para conquistar as vaga nas oitavas, ao baterem os japoneses Asahi/Shiratori com duplo 21-13. Na partida de amanhã eles enfrentam os americanos Fuerbringer/Jennings.

Márcio e Fábio Luiz, que disputam com Pedro/Harley a última vaga brasileira em Pequim, surpreenderam ao vencer os alemães Brink/Dieckmann no início do dia (2x1 – 15-21/21-15/15-12), mas mesmo assim ficaram apenas com o terceiro lugar do grupo L. Quem acabou ficando com a segunda colocação desse grupo foram Franco e Banjamin, que na última partida da primeira fase bateram os donos-da-casa Koshkarev/Prokopiev por dois a zero (21-17/25-23). Com esses resultados os dois times tiveram que disputar a primeira rodada eliminatória. Nela, Márcio e Fábio Luiz passaram pelos mexicanos Miramontes/Virgen (2x0 – 21-19/21-18), enquanto Franco/Benjamin bateram os suíços Heyer/Heuscher (2x0 – 21-18/21-14).

Amanhã os campeões mundiais de 2005 precisam confirmar o retrospecto de cinco vitórias e uma derrota sobre os americanos Dalhausser/Rogers. Já Franco/Benjamin esperam repetir a vitória no Aberto da Polônia sobre os alemães Reckermann/Urbatzka.

Brasil garante vaga na semifinal

O Brasil já tem uma dupla garantida na semifinal do Grand Slam de Moscou, mas o país ainda pode ter mais uma dupla entre as quatro finalistas da etapa.

A vaga garantida vem do confronto, nas quartas-de-final, entre Renata/Talita e Maria Elisa/Val. As vice-líderes do ranking olímpico brasileiro se classificaram com a vitória sobre as alemãs Pohl/Rau (2x0 – 23-21/21-18), enquanto Maria Elisa e Val passaram pelas americanas Boss/Ross (2x0 – 21-15/22-20). Esse será o segundo confronto entre as duplas na temporada, sendo que semana passada – em Stavanager (Noruega) – a vitória na fase de grupos ficou com Maria Elisa/Val por dois sets a um.

A outra vaga brasileira nas semifinais pode vir com Ana Paula e Shelda. A dupla que precisou se recuperar no tie-break para vencer as alemãs Holtwick/Semmler (2x1 – 21-19/19-21/15-10) enfrenta agora as chinesas Xue/Zhang Xi, responsáveis pela única eliminação brasileira nas oitavas – 2x0 (21-17/21-11) sobre Maria Clara e Carol.

quinta-feira, 3 de julho de 2008

Brasileiras estão nas oitavas-de-final

Com as duas vitórias na primeira rodada da segunda fase do Grand Slam de Moscou o Brasil colocou as quatro duplas brasileiras nas oitavas-de-final da chave feminina – as outras duas duplas já haviam garantido a vaga por antecipação.

As duas vitórias no fim do dia de hoje foram contra duplas cubanas. Primeiro foram Maria Elisa e Val que passaram por Crespo/Ribalta com dois sets a zero, parciais de 21-17 e 21-15. Depois, foram as irmãs Maria Clara/Carol que bateram Fernandez/Peraza, também sem perder um set, com parciais de 21-16 e 21-18.

Na próxima fase as irmãs pegam as chinesas Xue-Zhang/Xi. Apesar de terem perdido três dos quatro confrontos entre as duplas, Maria Clara e Carol estão confiantes que poderão repetir o último confronto, quando venceram as orientais por dois sets a um. Já Maria Elisa e Val terão que passar pelas americanas Boss/Ross, jogo que define as adversárias nas quartas da vencedora do confronto entre Renata/Talita e as alemãs Pohl/Rau. Completando o esquadrão brasileiro, Ana Paula/Shelda tem tudo para avançar as quartas, já que enfrentam as fracas alemãs Holtwick/Semmler.

Harley/Pedro decidem primeiro lugar do grupo contra americanos

Únicos brasileiros a ganhar seus dois jogos nessa quinta-feira, Harley e Pedro já estão classificados a segunda fase do Grand Slam de Moscou, e decidem amanhã contra os norte-americanos Gibb/Rosenthal o primeiro lugar, e a vaga antecipada as oitavas.

Esse será o terceiro confronto entre as duplas, e apesar de terem ganhado os dois jogos anteriores, os brasileiros sabem que terão um grande desafio – as vitórias foram sempre em três sets. Para chegar à terceira rodada da fase de grupos de forma invicta os brasileiros suaram a camisa para vencer os austríacos Gosch/Horst (duplo 21-19), mas atropelaram os neozelandeses Lochhead/Pitman (21-14 e 21-11).

Já os outros brasileiros não tiveram a mesma eficiência. Abrindo o grupo L, o confronto brasileiro entre Márcio/Fábio Luiz e Franco/Benjamin acabou sendo vencido pela dupla que se juntou apenas nessas últimas etapas do Mundial, devido a lesão de Pedro Cunha. Em mais de uma hora de jogo, Franco e Benjamin levaram a melhor por dois sets a um, com parciais de 21-17,18-21 e 15-13. Mas, na rodada seguinte acabaram derrotados pelos alemães Brink/Dieckmann (2x0 – 22-20/21-19). Enquanto isso, Márcio e Fábio Luiz se recuperaram da derrota, vencendo os russos Koshkarev e Prokopiev (2x1 – 21-17/19-21/15-09).

A grande surpresa acabaram sendo as duas derrotas de Ricardo e Emanuel. Os campeões olímpicos perderam, respectivamente, para os mexicanos Miramontes/Virgen (2x1 – 23-21/16-21/15-10) e os espanhóis Herrera/Mesa (2x1 – 16-21/21-19/15-13) e agora precisam da vitória frente os austríacos Doppler/Gartmayer para não serem eliminados de forma precoce da competição.

Brasileiras avançam a fase eliminatória na Rússia

As quatro duplas brasileiras que disputam e etapa russa do Circuito Mundial de Vôlei de Praia Feminino avançaram à segunda fase da competição. Sendo que duas delas ainda garantiram de forma antecipada as oitavas-de-final.

Ana Paula/Shelda e Renata/Talita garantiram o primeiro lugar do seu grupo, e com isso não precisam disputar a primeira rodada da fase eliminatória. Enquanto as veteranas confirmaram essa posição com a vitória sobre as irmãs austríacas Schwaiger por dois sets a zero, com parciais de 21-18 e 21-17, Renata e Talita acabaram surpreendidas pelas suíças Kuhn/Schwer (2x1 – 16-21/22-20/15-13) em jogo que não valia mais nada para a classificação do grupo D.

Agora Ana e Shelda esperam a definição do jogo entre as alemãs Holtwick/Semmler e as russas Bratkova/Ukolova. Já Renata/Talita enfrentam as vencedoras do duelo entre as japonesas Teru Saiki/Kusuhara e as alemãs Pohl/Rau.

Já Maria Clara/Carol e Maria Elisa/Val ficaram com o segundo lugar de seus grupos. Com isso as duas duplas terão que passar pela primeira rodada da fase eliminatória. As irmãs cariocas que venceram Hadekal/Torlen (2x1 – 19-21/21-16/15-13) enfrentam agora as cubanas Fernandez/Peraza, tentando manter a invencibilidade de três jogos no confronto. Já Maria Elisa e Val, que confirmaram a vaga ao vencerem as russas Boyko/Markova (21-12/21-11), tentam a segunda vitória consecutiva sobre as também cubanas Crespo/Ribalta.

quarta-feira, 2 de julho de 2008

Últimos três campeões da etapa russa brigam pelo título

Desde que voltou a receber uma etapa do mundial, após cinco anos de ausência do calendário, a Rússia viu três duplas brasileiras subirem ao lugar mais alto do pódio. Apesar das etapas dos três anos anteriores terem sido disputadas em São Petesburgo, o retrospecto brasileiro anima os quatro times que começam amanhã a disputar a fase principal do Grand Slam de Moscou.

Ricardo/Emanuel, campeões em 2005, voltam ao circuito após uma pausa de uma semana para treinamento em Portugal. Motivados, os brasileiros esperam retomar um bom ritmo para a preparação da dupla para os Jogos de Pequim.

Já as duas outras duplas campeãs na Rússia têm um motivo a mais para buscar o segundo título. Brigando diretamente pela segunda vaga brasileira na Olimpíada, Márcio/Fábio Luiz e Pedro/Harley – respectivamente campeões na Rússia em 2006 e 2007 – precisam de bons resultados essa semana para melhorar seu ranking olímpico. Atualmente com a segunda vaga, Márcio e Fábio Luiz se repetirem o resultado de dois anos atrás garantem matematicamente a segunda vaga do Brasil em Pequim. E mesmo que não fiquem com a vitória, a dupla tentará chegar a semifinal para aumentar a diferença sobre seus rivais (hoje em cem pontos). Já Pedro/Harley precisam de um terceiro lugar, mas a eliminação de seus rivais antes das semifinais, para assumir o segundo lugar no ranking olímpico brasileiro.

A quarta dupla brasileira em Moscou é Franco/Benjamin. Jogando juntos devido uma contusão de Pedro Cunha, parceiro oficial de Franco, a dupla teve que garantir a vaga no main draw hoje. Jogando pelo qualifying eles bateram a dupla do Cazaquistão Kulinich/Dyachenko por dois sets a zero, com parciais de 21-19 e 21-13.

Renata e Talita garantem vaga nas oitavas

A dupla Renata/Talita, que busca confirmar em Moscou a segunda vaga brasileira nos Jogos de Pequim, deu um passo importante hoje dentro da competição. Com duas vitórias e nenhum set perdido as vice-líderes do ranking brasileiro asseguraram a primeira colocação do grupo D e a conseqüente vaga nas oitavas-de-final do torneio.

A dupla teve na estréia um confronto caseiro. Jogando contra Maria Clara e Carol, elas precisaram de trinta e oito minutos para vencer o primeiro desafio (21-19/21-14). Na seqüência foi à vez de bater as norueguesas Hakedal/Torlen, com o mesmo placar e parciais de 21-14 e 21-16. O resultado foi um grande presente para o técnico da dupla, Abel Martins, que comemora seu aniversário hoje.

Outra dupla brasileira que encerrou o primeiro dia com duas vitórias foi Ana Paula/Shelda. Mas, ao contrário das suas rivais pela segunda vaga brasileira em Pequim, a combinação do cruzamento do seu grupo ainda não as garante o primeiro lugar. Mesmo assim, Ana e Shelda que venceram, respectivamente, as canadenses Martin/Cooke (duplo 21-14) e as alemãs Claasen/Roder (21-16/21-11) já garantiram vaga na próxima fase do torneio, e precisam apenas de uma vitória sobre as irmãs Schwaiger (Áustria) para ficar com a classificação antecipada as oitavas.

Já Maria Clara/Carol e Maria Elisa/Val terminaram a quarta-feira com uma vitória e uma derrota cada. Com isso as irmãs cariocas, embora já estejam classificadas, precisam da vitória sobre as norueguesas Hakedal/Torlen para garantir o segundo lugar do grupo. Já Maria Elisa Val precisam vencer as donas-da-casa Boyko/Markova para assegurar vaga na próxima fase.

terça-feira, 1 de julho de 2008

Maria Elisa e Val completam time brasileiro

O Brasil vai para o último Grand Slam que conta pontos para o ranking olímpico com quatro times na disputa, apesar de apenas dois deles ainda terem chance de classificação para Pequim. Com três duplas pré-classificadas a fase principal da competição, o país terá mais um representante graças a conquista de Maria Elisa/Val de uma das oito vagas em disputa no qualifying.

A dupla, que pela primeira vez não teve que disputar o country-quota, se classificou com a vitória sobre as canadenses Lessard/Maxwell por dois sets a zero. Apesar de não terem perdido um set, as brasileiras tiveram que suar a camisa para conseguir a classificação. Em um jogo que teve duração de cinqüenta e quatro minutos elas venceram com parciais de 21-19 e 24-22.

Com o resultado Maria Elisa e Val entraram no grupo A da primeira fase da competição principal. E das três duplas que elas jogam contra, as brasileiras só venceram uma delas até hoje. As russas Boyko e Markova, últimas adversárias da fase de grupos, já foram derrotadas pelo time brasileiro, que por sua vez perdeu os jogos que já fez contra as cubanas Fernandez/Peraza e as maericanas Branagh/Youngs, respectivamente primeiras e segundas adversárias.

As outras brasileiras que não têm mais chances de classificação são as irmãs Maria Clara e Carol. Mesmo assim elas terão papel decisivo na briga pela segunda vaga brasileira em Pequim já que estão no grupo de Renata/Talita – que ocupam o segundo lugar no ranking olímpico brasileiro. O jogo entre as compatriotas abre o grupo D, que conta ainda com as norueguesas Hakedal/Torlen e as suíças Kuhn/Schwer.

Completando o esquadrão brasileiro em Moscou, Ana Paula e Shelda encabeçam o grupo C. As adversárias das veteranas serão as canadenses Martin/Cooke, as alemãs Claasen/Roder e as irmãs austríacas Schwaiger.

- No masculino, Franco/Benjamin disputam o quali

Para contar também com mais um time na disputa da chave principal masculina, o Brasil terá que torcer para que amanhã Franco/Benjamin passem pelo qualifying.

A dupla que é cabeça-de-chave número dois nessa fase do torneio precisará de apenas uma vitória para chegar ao main draw. Os adversários desse jogo saem do confronto entre Kulinich/Dyachenko (Cazaquistão) e Babich/Mykhaylov (Ucrânia).

segunda-feira, 30 de junho de 2008

Semana decisiva para classificação olímpica

Depois de receber nos últimos três em São Petersburgo o melhor do vôlei de praia mundial, a Rússia reservou a sua capital para a disputa nessa temporada. Moscou, que recebeu etapas do masculino em 98 e 99, será a sede do último Grand Slam (etapa com pontuação maior) que conta pontos para o ranking que define as vagas em Pequim.

Faltando duas semanas para o fim do prazo estipulado pela FIVB para as duplas somarem pontos no ranking olímpico, o torneio russo promete ser um dos mais emocionantes dos últimos tempos, impulsionado pela disputa olímpica. Entre os brasileiros, com a primeira vaga já decidida entre homens e mulheres, a disputa é pela segunda e última vaga em cada naipe. A disputa no masculino está acirrada, com Márcio/Fábio Luiz liderando a disputa com apenas cem pontos de vantagem sobre Harley/Pedro. Já entre as mulheres Renata/Talita têm vantagem de 520 pontos sobre Ana Paula/Shelda.

Com pontuação maior que a próxima etapa, que será disputa em Marselha (França), muitos apostam que a Rússia irá definir a situação da segunda vaga brasileira em Pequim. Na disputa masculina um primeiro lugar de Márcio/Fábio Luiz, desde que Harley/Pedro não façam pódio, garante os campeões mundiais de 2005 nos Jogos Olímpicos. Contudo, um terceiro lugar dos rivais, com Márcio e Fábio Luiz ficando abaixo de quinto, muda a dupla que hoje ocupa a segunda posição no ranking.

Entre as mulheres Renata/Talita precisam de um terceiro lugar para garantir a vaga em Pequim, mas mesmo que não cheguem ao pódio ainda podem garantir a vaga. Para isso basta que Ana Paula/Shelda não cheguem à final. As veteranas que se juntaram no início dessa temporada para tentar a segunda vaga brasileira precisam de no mínimo um segundo lugar, para ir à Marselha precisando conquistar o ouro e assim tirar a vaga de Renata/Talita.

Com muitos números na cabeça, e com muitas possibilidades, os atletas brasileiros entrarão em quadra tentando conquistar o carimbo no passaporte para Pequim.

- Maria Elisa e Val a um jogo do main draw

Sem adversárias na fase de qualificação, pela primeira vez Maria Elisa e Val não terão que disputar o country-quota brasileiro. Com isso, basta uma vitória nessa terça para que a dupla chegue a seu terceiro Grand Slam.

A definição das adversárias ocorre amanhã mesmo, mais cedo, no jogo entre a dupla sul-africana Augostides/Nel e as canadenses Lessard/Maxwell. O jogo que vale vaga na chave principal da competição está previsto para as oito da manhã, no horário de Brasília.

Paraíbanos fazem a festa em casa

Álvaro Filho e Vitor Felipe têm motivos de sobra para comemorar a temporada de vôlei de praia até aqui. Além de terem vencido a primeira etapa do Campeonato Brasileiro Sub-21, realizado em Saquarema (RJ), e de terem conquistado o Brasileiro sub-19, no Rio de Janeiro, a dupla venceu nesse domingo a segunda etapa do sub-21, e para ser ainda melhor o jogo foi na cidade dos atletas.

Em uma final exclusivamente “da casa” eles bateram os conterrâneos Ícaro/Klaus por dois sets a um, com parciais de 18-09, 10-18 e 15-07. “Nossos últimos resultados têm sido excelentes. A idéia é manter esse bom ritmo de jogo até o fim do ano. Em Fortaleza, o lugar mais alto do pódio será o objetivo mais uma vez. Sabemos que não existe dupla invencível, mas manter a regularidade é importante”, comentou Álvaro.

Entre as mulheres a vitória ficou com as cariocas Patrícia e Fernanda. Na decisão elas jogaram contra as adversárias e a torcida local, que apoiava as atletas da casa Naty/Fabí. “Este título foi fruto de muito trabalho. Superamos uma seqüência de partidas complicadas. Ontem, na parte da noite, ficamos estudando o jogo de Fabí/Naty nos mínimos detalhes”, comentou Patrícia sobre a vitória por dois sets a zero (18-13/18-12).

sábado, 28 de junho de 2008

Ana e Shelda perdem para americanas e estão fora do pódio

Depois da comemoração pela classificação à semifinal ontem, Ana Paula e Shelda tiveram um sábado para esquecer na Noruega. Com reais chances de chegar ao pódio, e com isso diminuir bem a diferença para Renata/Talita na briga pela segunda vaga brasileira em Pequim, as veteranas acabaram sofrendo duas derrotas hoje e ficaram com o quarto lugar.

Primeiro foi a virada para as gregas Karantasiou/Arvaniti na semifinal e, agora a pouco, a derrota na disputa pelo bronze. Na partida que valia o último lugar no pódio as americanas Boss/Ross – que também precisavam do resultado para se aproximar de Youngs/Branagh na disputa pela segunda vaga norte-americana – administraram bem a partida e forçando o saque conseguiram derrotar as brasileiras por dois sets a zero, com parciais de 21014 e 21-18.

O resultado faz com que Ana e Shelda precisem chegar as duas finais nas últimas etapas que ainda contam para o ranking olímpico. Caso semana que vem, na Rússia, a dupla não alcance a decisão estará de fora da briga pela vaga em Pequim.

- Walsh/May levam mais uma

Três torneios disputado na temporada do Circuito Mundial e três vezes a medalha de ouro. Esse é o retrospecto das atuais campeãs olímpicas Walsh/May.

Na decisão em Stavanger – local onde nunca haviam ganho – a dupla norte-americana bateu as gregas Karantasiou/Arvaniti por dois sets a zero, com parciais de 21-13 e 21-14.

Stavanger conhecerá um novo campeão

Após nove anos de supremacia brasileira no torneio masculino em Stavanger, esse ano a capital do petróleo norueguês irá conhecer um novo campeão. Com as duas duplas do país que ainda restavam na competição eliminadas nas oitavas-de-final, americanos, alemães, holandeses, austríacos e chineses seguem com chances de levar o título.

Enfrentando duplas consideradas favoritas os dois times do Brasil acabaram perdendo na segunda rodada da fase eliminatória por dois sets a zero. Franco e Benjamin foram derrotados pelos alemães Brink/Dieckmann (21-17/21-15), enquanto Harley e Pedro não resistiram aos holandeses Nummerdor/Schuil (21-18/28-26). Com esses resultados ambos deixam o torneio com a nona colocação.

Terminada mais uma etapa classificatória para os Jogos de Pequim, Márcio e Fábio Luiz, mesmo com o último lugar na Noruega, continuam com a segunda colocação no ranking olímpico – cem pontos a frente de Pedro/Harley.

Gregas devolvem derrota e Ana/Shelda disputam bronze

Quando Ana Paula e Shelda venceram o primeiro set da semifinal por 21-18 parecia que conseguiriam impor sobre as gregas Karantasiou e Arvaniti a segunda derrota na mesma etapa – as brasileiras haviam vencido o jogo entre as duplas na fase de grupos por 2x0. Mas, as adversárias mostraram porque estão entre as melhores duplas européias e viraram a partida.

Em um jogo bastante disputado, com mais de uma hora de duração, a dupla da Grécia devolveu a derrota do primeiro set com 21-19, forçando assim a disputa do tie-break. Foi então, que no set desempate, as duas duplas travaram um duelo e tanto, sendo que a vitória grega só veio com o placar de 22-20.

O resultado tirou Ana e Shelda da decisão do Grand Slam de Stavanger. A dupla agora espera no mínimo subir ao pódio, já que a medalha de bronze as mantém com boas chances na briga pela segunda vaga brasileira em Pequim. Para isso elas terão que devolver a derrota sofrida em Berlim para Boss/Ross. No primeiro Grand Slam do ano as americanas vencerem com facilidade (21-13 e 21-17).

Brasileiros avançam as oitavas-de-final

As duas duplas brasileiras que ainda disputam a etapa norueguesa na chave masculina seguem firmes na competição. Agora a pouco, Pedro/Harley e Franco/Benjamin se classificaram as oitavas-de-final ao vencerem seu primeiro jogo eliminatório.

Franco e Benjamin tiveram vida mais fácil diante dos franceses Gagliano/Dugrip, e como era de se esperar não encontraram dificuldades em vencer os europeus por dois sets a zero, com parciais de 21-18 e 21-15 – em quarenta e um minutos. Mas o próximo jogo deve ser mais complicado, já que terão que enfrentar os cabeças-de-chave número dois do torneio: Brink e Dieckmann (Alemanha).

Jogo difícil também terá Pedro e Harley para chegar as quartas-de-final. Apesar do retrospecto favorável de duas vitórias e uma derrota frente os holandeses Nummerdor/Schuil, os adversários nas oitavas ficaram com a medalha de prata semana passada em Paris. Para alcançar a segunda rodada da fase eliminatória os brasileiros já tiveram um grande desafio, mas acabaram vencendo os espanhóis Herrera/Mesa por dois sets a zero (21-17/24-22).

sexta-feira, 27 de junho de 2008

Ana Paula e Shelda avançam à semifinal

Foi um jogo mais duro do que o esperado, mas Ana Paula e Shelda conseguiram a virada sobre as norueguesas Hakedal/Torlen e se classificaram à semifinal da etapa da Noruega do Circuito Mundial de Vôlei de Praia.

O jogo começou mal para as brasileiras, que saíram de cara com um placar desfavorável de 3-0. Mesmo assim, Ana e Shelda souberam correr atrás dos pontos e chegaram a empatar o primeiro set, mas foram derrotadas na seqüência por 21-18. No set seguinte, porém, a dupla de veteranas devolveu o placar (21-18) sobre as européias forçando a disputa do tie-break. No terceiro e decisivo set a partida seguiu equilibrada até a vantagem em 13-12 a favor das donas-da-casa. Foi quando Shelda e Ana conseguiram uma seqüência de três pontos e fecharam o jogo em 15-13.

O resultado classificou a dupla a sua primeira semifinal de Grand Slam juntas. No primeiro jogo de amanhã elas voltarão a enfrentar as gregas Karantasiou/Arvaniti. No terceiro jogo da fase de grupos a vitória foi brasileira por dois sets a zero (25-23/21-19).

- Renata e Talita perdem e ficam em quinto lugar

A outra dupla brasileira que ainda estava na disputa acabou não resistindo ao favoritismo das campeãs olímpicas Wlash/May. Em apenas tinta e um minutos elas foram derrotadas com o placar de 21-15 e 21-12.

O resultado manteve a dupla com a mesma colocação da semana passada em Paris, quinto lugar, e não aumentou a pontuação de Renata/Talita no ranking que define a segunda vaga brasileira em Pequim. Com o resultado de Ana/Shelda, única dupla que ainda concorre pela vaga com Renata/Talita, a diferença entre as duplas irá diminuir. Na semana que vem, na Rússia, as duas disputam o último Grand Slam válido para a corrida olímpica. Data que muitos consideram que será definida quem ficará com a vaga.

Pedro/Harley e Franco/Benjamin vencem mas terão que disputar a primeira rodada

Com a eliminação precoce de Márcio e Fábio Luiz da disputa na Noruega, as outras duas duplas brasileiras seguem com a responsabilidade de manter o retrospecto brasileiro na etapa. Nos dez anos que Stavanger recebe o Circuito Mundial Masculino nenhum outro país ficou com o lugar mais alto do pódio.

No mesmo grupo da primeira fase, Pedro/Harley e Franco/Benjamin venceram agora a pouco o seu terceiro jogo e se classificaram à fase eliminatória. Mas, com o primeiro lugar do Gupo O ficando com os americanos Gibb/Rosenthal, as duas duplas brasileiras terão que disputar a primeira rodada da segunda fase.

Franco/Benjamin tiveram dificuldade apenas no segundo set para vencer os franceses Cés/Ces (21-18 e 24-22). Já Harley e Pedro precisaram de três sets para vencer os americanos. Depois da vitória no primeiro (21-19), os brasileiros foram derrotados no set seguinte por 21-15, forçando o set desempate. Mas na hora da decisão, Pedro e harley souberam manter a calma e fecharam o jogo com 15-12.

Mais tarde eles conhecem seus próximos adversários, através do sorteio realizado pelos organizadores.

Brasileiras disputam vagas nas semifinais

As duas duplas brasileiras que seguem na disputa do Grand Slam de Stavanger (Noruega), já que as irmãs Maria Clara e Carol foram eliminadas na primeira rodada da segunda fase – 2x1 (23-21/17-21/15-11) para as gregas Koutoumanidou/Tsiartsiani -, chegaram agora a pouco as quartas-de-final da competição.

Ana Paula e Shelda se classificaram justamente ao vencer as gregas que bateram as filhas da ex-jogadora Isabel. Em apenas trinta e sete minutos as veteranas impuseram a vitória com parciais de 21-18 e 21-14. Agora, elas terão pela frente, além das adversárias, a torcida local que promete lotar a quadra principal para apoiar Hakedal/Torlen no jogo que vale vaga no final four.

Já Renata/Talita terão missão mais complicada. Após atropelarem as mexicanas Candelas/Garcia em apenas vinte e oito minutos de jogo (21-13/21-12), as atuais vice-líderes do ranking mundial terão pela frente as campeãs olímpicas Walsh/May. Para chegar a semifinal, resultado que aumenta a pontuação da dupla brasileira no ranking olímpico, Renata e Talita terão que quebrar a invencibilidade das norte-americanas no histórico do confronto. Walsh/May venceram os três jogos que disputaram contra as brasileiras.

- Maria Elisa e Val também são eliminadas

As norte-americanas inclusive já fizeram as suas primeiras vitimas brasileiras. Branagh e Youngs bateram nas oitavas-de-final Maria Elisa e Val. A dupla que vinha do country-quota brasileiro, passando pelo qualifying, deixa assim a Noruega com a nona colocação.

O jogo, que teve quarenta e dois minutos de duração, foi vencido pelas norte-americanas por dois sets a zero, com parciais de 21-17 e 21-15.

Márcio e Fábio Luiz perdem e são eliminados

Do primeiro ao último lugar. Esse foi o trajeto da dupla brasileira Márcio e Fábio Luiz no Grand Slam de Stavanger. Campeã no ano passado, a dupla se despediu esse ano da Noruega com a última colocação.

O mal resultado veio com a segunda derrota na fase de grupos, hoje cedo, para os austríacos Gosch/Horst. Depois de terem vencido o primeiro set, até com certa facilidade (21-12), os brasileiros acabaram tomando a virada (21-19 e 15-12) e ficaram apenas com a quarta colocação do grupo L. Com isso, os campeões mundiais de 2005 não passaram a segunda fase do torneio e têm agora que torcer para que Pedro/Harley não cheguem ao pódio. Caso isso ocorra Márico e Fábio Luiz seriam ultrapassados no ranking olímpico pelos compatriotas.

A dupla segue agora para a Rússia, aonde semana que vem disputa o último Grand Slam válido para a contagem olímpica.

quinta-feira, 26 de junho de 2008

Campeões do sub-19 esperam manter liderança no sub-21

Começa nessa sexta a chave principal da segunda etapa do Campeonato Brasileiro Sub-21. A competição que ainda irá passar por Fortaleza (CE) e Maringá (PR), começou a ser disputada hoje – no torneio qualifying – nas areias da Praia do Cabo Branco, em João Pessoa.

Depois de terem conquistado a primeira etapa, disputada em Saquarema (RJ), e de no fim-de-semana passado terem se sagrados campeões do Brasileiro sub-19, na Praia do Flamengo – Rio, Álvaro Filho e Vitor Felipe esperam ter um bom resultado jogando em casa para manter a liderança no ranking brasileiro da categoria. “O fato de atuar em casa pode nos ajudar. O forte vento daqui não será problema pra nós. Mesmo assim, acredito em um campeonato bastante disputado”, comentou Vitor.

Entre as mulheres, as cariocas Natasha/Amanda – líderes do ranking nacional – acreditam também no equilíbrio da disputa. “A meta é realizar mais uma boa campanha, mas tenho consciência de que será um campeonato difícil”, disse Amanda.

Sai a tabela da segunda fase do torneio feminino

Com a divulgação da tabela da segunda fase do Grand Slam de Stavanger as brasileiras conhecerem suas adversárias no primeiro jogo da fase eliminatória. Pré-classificadas as oitavas-de-final do torneio Renata/Talita e Ana Paula/Shelda esperam o confronto da primeira rodada eliminatória para conhecer as adversárias, já as outras duas duplas brasileiras entram em quadra mais cedo.

As cinco da manhã, no horário de Brasília, Maria Clara e Carol enfrentam pela quinta vez no histórico do mundial as gregas Koutroumanidou/Tsiartsiani. Cada dupla venceu dois jogos e o confronto de amanhã definirá a adversárias de outra dupla brasileira na segunda rodada: Ana Paula e Shelda.

Uma hora depois será a vez de Maria Elisa e Val entrarem em ação na fase eliminatória. O primeiro desafio será vencer as cubanas Crespo/Ribalta. Caso avancem a segunda rodada terão pela frente as norte-americanas Branagh/Youngs.

Já Renata/Talita esperam o jogo entre as mexicanas Candelas/Garcia e as russas Uryadova/Shiryaeva para conhecer suas adversárias no primeiro desafio na fase eliminatória. Caso avancem para a terceira rodada as brasileiras deverão ter um grande desafio pela frente. Pela tabela divulgada, Walsh e May poderão ser as adversárias nas quartas-de-final.

Vitórias sobre favoritos recolocam brasileiros na disputa

Depois de terem estreado com derrota, Márcio/Fábio Luiz e Franco/Benjamin se recuperaram na segunda partida dessa quinta e ainda têm chances de buscar o primeiro lugar de seus grupos.

Em busca do bi-campeonato do torneio norueguês, Márcio e Fábio Luiz se recuperaram da derrota sofrida para os americanos Williams/Metzger com um excelente resultado na segunda partida. Os brasileiros bateram os medalhistas de prata em Paris, semana passada por dois sets a um. Após perderem o primeiro set para os holandeses Nummerdor/Schuil por 21-13, a dupla que se sagrou campeã mundial em 2005 conseguiu se recuperar e virar a partida, com os placares de 21-14 e 16-14 nos sets seguintes.

Já seus concorrentes a segunda vaga brasileira em Pequim foram surpreendidos pelos compatriotas Franco e Benjamin. Em jogo que teve setenta minutos de duração, Pedro e Harley foram derrotados por dois a um, com parciais de 21-18, 24-26 e 15-12.

Amanhã os três times disputam a liderança do grupo dependendo dos critérios de desempates. Se conseguirem sair com o primeiro posto avançam direto as oitavas-de-final.

Brasileiras se classificam à fase eliminatória

As quatro duplas brasileiras do torneio feminino se classificaram a fase eliminatória do Grand Slam de Stavanger (Noruega). Duas delas garantiram ainda a primeira colocação do grupo e com isso avançam direto as oitavas-de-final.

Ana Paula e Shelda confirmaram o primeiro lugar do seu grupo ao vencerem o terceiro jogo consecutivo hoje, contra as gregas Karantasiou/Arvaniti, por dois sets a zero (25-23/21-19). Já Renata/Talita, outra dupla brasileira que garantiu o primeiro lugar do seu grupo, conquistou a vaga antecipada as oitavas ao vencer as australianas Barnett/Cook também por dois sets a zero (21-17/21-18).

As outras duas duplas do Brasil classificadas à segunda fase terão que disputar a primeira rodada eliminatória. Maria Elisa e Val chegaram a vencer as italianas Gattelli/Perrotta (2x1 – 21-18/17-21/15-07) mas no critério de desempate acabaram ficando com o segundo lugar. Já Maria Clara e Carol perderam a chance de ficar com o primeiro posto do seu grupo ao perderem para as americanas Branagh/Youngs (2x0 – 21-19/21-15).

Apenas Harley/Pedro vencem na estréia

Os brasileiros não foram bem na primeira rodada da chave masculina do Grand Slam da Noruega. Com duas derrotas e apenas uma vitória, os times brasileiros precisam se recuperar nos jogos de daqui a pouco para manter-se na luta pelo título.

A única dupla que estreou bem foi Pedro/Harley. Quarto colocados em Paris, semana passada, eles venceram por dois sets a zero (21-14 e 21-18) os franceses Cés/Ces. Pelo mesmo grupo, Franco e Benjamin acabaram derrotados pelos americanos Gibb/Rosenthal (2x1 – 21-14/18-21/15-10) e agora precisam de uma vitória frente os compatriotas – ao meio-dia no horário de Brasília – para manter-se na briga pelo primeiro lugar do grupo.

A outra derrota brasileira foi surpreendente. Márcio e Fábio Luiz foram derrotados por dois sets a zero pelos norte-americanos Williams/Metzger, com parciais de 22-20 e 21-18. O próximo jogo dos brasileiros será contra os favoritos Nummerdor/Schuil (Holanda).

quarta-feira, 25 de junho de 2008

Maria Elisa e Val vencem duelo brasileiro e se recuperam

Depois de terem tomado a virada das australianas Barnett/Cook no jogo de estréia, Maria Elisa e Val ganharam agora a pouco o duelo contra as compatriotas Renata/Talita e seguem na briga pelo grupo F.

O jogo que foi bastante disputado, com parciais de 21-23/23-21/15-13, colocou as duas duplas brasileiras em condições de igualdade após o primeiro dia de disputa. Com uma vitória e uma derrota ambas ainda tem chances de alcançar a primeira colocação do grupo, mas pra isso precisam vencer seus compromissos de amanhã.

Caso vençam as italianas Gattelli/Perrotta, Maria Elisa e Val garantem as duas duplas brasileiras na próxima fase do torneio. E se Renata/Talita baterem novamente, assim como em Berlim, as australianas Barnett/Cook o grupo fica totalmente embolado com três duplas somando duas vitórias e uma derrota. Aí o critério de desempate será o point average, com as três duplas tendo chance de conquistarem à vaga antecipada as oitavas-de-final.

Já uma derrota da dupla que veio do qualifying amanhã pode inclusive eliminar antecipadamente um dos times brasileiros. Caso isso ocorra o jogo entre Renata/Talita e Barnett/Cook será decisivo. Se as brasileiras vencerem saem como primeiras do grupo e eliminam as compatriotas, já se forem derrotadas as australianas ficam com a liderança e os outros três times disputam as duas vagas restantes no point average.

Maria Clara/Carol e Ana Paula/Shelda garantem vaga na segunda fase

As irmãs Maria Clara e Carol conquistaram agora a pouco a vaga na segunda fase do Grand Slam de Stavanger (Noruega). As irmãs vencerem seus dois jogos de hoje e com isso já estão garantidas nos jogos eliminatórios.

Primeiro foi a vitória por dois a zero sobre as também irmãs Schwaiger (Áustria), com parciais de 21-14 e 21-19. “Jogamos bem esse jogo. Sacamos na mais baixa, aproveitamos as viradas de bola e fizemos boas defesas”, comentou Maria Clara. Depois foi o jogo mais suado contra as canadenses Martin/Cooke, onde foram derrotadas no primeiro set (20-22), mas se recuperaram nos dois seguintes (21-19/15-07).

Com os dois resultados a dupla decide amanhã o primeiro lugar do grupo em um confronto direto contra as norte-americanas Branagh/Youngs. Quem vencer o jogo estará automaticamente classificado as oitavas-de-final da competição.

Situação parecida de Ana Paula/Shelda, que vencerem por dois sets a um as francesas Faure/Sarpaux (18-21/21-17/15-08) e as belgas Van Breedam/Mouha (14-21/21-15/15-09). Porém as adversárias de amanhã, as gregas Karantasiou/Arvaniti não venceram seus dois jogos de hoje, e com isso mesmo se derrotadas as brasileiras ainda poderão sair com o primeiro lugar do grupo E, dependendo da combinação dos resultados.