sábado, 31 de maio de 2008

Brasileiras ficam com a prata e o bronze em Barcelona

Renata e Talita deixam a cidade de Barcelona com a sensação de missão cumprida. Apesar de terem perdido a final para as americanas Branagh/Youngs a dupla brasileira conseguiu melhorar a sua pontuação olímpica.

Na disputa pelo ouro elas foram derrotadas pela segunda dupla norte-americana por dois sets a zero, com parciais de 21-18 e 21-14, mas ao terem conquistado a medalha de prata aumentaram sua pontuação olímpica – agora elas somam 4.320 pontos. “Conseguimos nosso objetivo de chegar a final e com isso melhorar nossa pontuação. É claro que queríamos ter ganho a etapa, mas as americanas jogaram muito bem. Acho que ninguém tiraria esse ouro delas hoje”, analisou Talita feliz com o resultado final.

Já na decisão do terceiro lugar o Brasil conseguiu a vitória. Depois de terem sido derrotadas ontem pelas campeãs na semifinal, Juliana e Larissa se recuperaram e venceram com duplo 21-14 as gregas Karantasiou e Arvaniti.

Tirando vantagem de jogar em casa

Não é de hoje que os atletas gostam de jogar em casa as competições. Apesar de pressão por resultados o suporte da torcida sempre é um ingrediente a mais para as vitórias. Foi assim na etapa da Holanda do Circuito Europeu no ano passado, quando o ouro ficou com o país sede tanto no masculino quanto no feminino.

Nesse ano o apoio da torcida também vem sendo decisivo. Um bom exemplo é a semifinal disputada entre as donas-da-casa Kadijk e Mooren e as irmãs austríacas Schwaiger. Depois de ter sido derrotada por 22-20 a dupla local se apoiou nos faz para conseguir virar o jogo, principalmente no terceiro set quando, depois de vencerem o segundo por 21-18, conseguiram fechar a partida com 21-19.

“É realmente incrível quantas pessoas vieram torcer pela gente. Isso nos deu muita energia. Nunca teríamos vencido hoje sem este auxílio extra”, comentou Rebekka Kadijk após a vitória suada. A jogadora ainda falou da dificuldade em virar a partida. “Tivemos que adaptar o nosso jogo e jogar com mais risco e pressão. Ainda bem que deu certo no final”, completou.

Mas para a tristeza dos fãs que lotaram a arena no masculino a dupla Nummerdor e Schuil acabou sendo derrotada e disputará apenas o bronze. Na semifinal contra os alemães Matysik/Uhmann eles foram derrotados por dois sets a zero, com parciais de 21-19 e 21-17.

As finais de amanhã serão Kadijk/Mooren contra as alemãs Banck/Guenther e Matysik/Uhmann contra os compatriotas Klemperer/Koreng. Nas disputas pelo bronze se enfrentam as atletas locais Van Iersel/Wesselink e as austríacas Schwaiger no feminino, enquanto no masculino os austríacos Gosch/Horst pegam os holandeses Nummerdor/Schuil.

Brasileiros perdem e disputam o bronze

Apesar de terem chegado de forma invicta as semifinais da Etapa de Barcelona, os brasileiros Ricardo/Emanuel e Pedro/Harley acabaram perdendo a sua única partida de hoje e disputam amanhã apenas a medalha de bronze. Com os resultados continua inédita nessa temporada uma decisão de etapa com dois times verde-e-amarelos.

Os atuais campeões olímpicos perderam a chance de chegar a sua primeira final internacional em 2008 ao serem derrotados novamente pelos alemães Brink e Dieckmann. A dupla que já havia derrotado os brasileiros na etapa italiana precisou de apenas quarenta e sete minutos para vencer o duelo com dois sets a zero, parciais de 21-16 e 21-19.

Já Pedro e Harkey foram derrotados pelos russos Barsouk/Kolodinsky. Os europeus que já haviam eliminado Márcio e Fábio Luiz na rodada anterior (os brasileiros deixaram com isso a competição com o quinto lugar) precisaram virar a partida para se classificar a decisão. Depois da derrota em um primeiro set disputadíssimo (26-24), os russos conseguiram impor melhor seu ritmo de jogo e vencer as parciais seguintes com 21-17 e 15-12, em mais de uma hora de jogo.

Com os resultados do dia nenhuma das duas duplas do Brasil conseguiu melhorar a sua classificação olímpica, adiando para semana que vêm, na Polônia, uma nova tentativa. Na decisão do bronze Pedro e Harley tentaram diminuir a vantagem dos compatriotas no histórico do confronto em etapas do Circuito Mundial. Das cinco vezes em que o duelo aconteceu foram quatro vitórias dos campeões pan-americanos e apenas uma derrota.

sexta-feira, 30 de maio de 2008

Renata e Talita representam o Brasil na final

Pela terceira vez na temporada, em cinco etapas, Renata e Talita chegam a decisão de uma parada do Circuito Mundial Feminino de Vôlei de Praia. Mas, ao contrário das duas primeiras finais, quando enfrentaram as compatriotas Juliana/Larissa na decisão, dessa vez as adversárias são norte-americanas.

A classificação veio em um jogo eletrizante disputado na quadra central da arena montada na cidade catalã. Com as duas duplas se alternando a frente do placar os dois primeiros sets foram vencidos pela contagem mínima. Vitória das européias no primeiro e das brasileiras no segundo por 21-19. Com isso a partida, que teve ao todo duração de cinqüenta e seis minutos, foi para o tie-break. Foi justamente quando Renata e Talita mostraram porque começaram essa temporada tão bem nos torneios internacionais. Logo de cara elas abriram 2-0, mas permitiram o empate. A partir do 2-2 a vantagem a favor das vencedoras foi só aumentando, até o término do set em 15-08.

“O jogo foi muito nervoso. Mas depois que nos acalmamos prevaleceu a nossa técnica e o nosso jogo fluiu”, analisou o técnico Abel Martins que elogiou ainda a disposição de suas atletas na partida. Com diversos pontos disputados em seqüências de contra-ataques as brasileiras souberam superar a areia fofa que vem sendo um adversário a mais para as defesas.

Para a decisão Renata/Talita terão que mostrar mais uma vez que são capazes de vencer a dupla número dois dos Estados Unidos. Depois de terem sido derrotadas nos dois confrontos contra as rivais em 2007, as brasileiras começaram essa temporada com a vitória na terceira rodada em Adelaide (22-20 e 21-14). Com isso essa será a chance das vice-líderes do ranking brasileiro empatarem o histórico do confronto. “As americanas formam um time muito forte. Precisamos manter ou até melhorar o ritmo das duas partidas de hoje para vencê-las”, comentou a sul-mato-grossense Talita.

Juliana e Larissa perdem e disputam o bronze

Depois de quatro vitórias, três delas por 2x0, Juliana e Larissa tiveram sua primeira derrota hoje em Barcelona. E o revés veio justamente na única partida em que a dupla não poderia perder se quisesse continuar sonhando com o título na Espanha.

Jogando na quadra central, com o reforço da técnica Letícia Pessoa que largou a dupla Leila/Sandra e se juntou a comissão técnica das campeãs pan-americanas, Juliana/Larissa disputaram a primeira semifinal da chave feminina contras a americanas Branagh/Youngs. Mesmo com o cansaço de estarem disputando a sétima partida, terceira do dia, enquanto as rivais estavam no seu quinto jogo no torneio, as norte-americanas tiveram fôlego para virar o primeiro set do jogo. Depois de estarem perdendo de 19-15 a dupla número dois dos Estados Unidos reverteu o placar a seu favor em uma seqüência incrível de cinco pontos (20-19). A frente do placar, mantiveram ainda a calma necessária para fechar a primeira parcial em 22-20.

Mas as brasileiras conseguiram dar o troco no set seguinte quando venceram com facilidade por 21-14. No tié-break o jogou seguiu equilibrado até o empate em nove pontos, quando as americanas abriram a vantagem de dois pontos (11-9) que lhes rendeu a vitória no final do set desempate (15-13).

Amanha as brasileiras entram em quadra na busca do segundo posto brasileiro entre as tr6es melhores da etapa. Na disputa pelo bronze elas tem ampla vantagem no histórico do confronto frente as gregas Arvaniti e Karadassiou (treze vitórias e apenas três derrotas).

Novatas estréiam com vitória em casa no Circuito Europeu

Oito times seguem invictos para a disputa amanhã do segundo dia da etapa da Holanda do Circuito Europeu. No feminino Bratkova/Ukolova (Russia), Banck/Günther (Alemanha), Schwaiger/Schwaiger (Áustria) e Van Iersel/Wesselink (Holanda) venceram seus dois jogos do dia. Já no masculino os alemães Matysik/Uhmann e Klemperer/Koreng, os austríacos Gosch/Horste e os donos-da-casa Nummerdor/Schuil conseguiram o feito.

Mas uma dessas duplas jogou especialmente bem na estréia. Mesmo com a necessidade de três sets para vencer os dois jogos, primeiro contra Montagnolli/Swoboda, da Áustria – 21-15/15-21/15-10 – e depois contra Borger/Semmler, da Alemanha, na segunda rodada (17-21/21-17/15-12), as anfitriãs Van Iersel e Wesselink tem motivos de sobra pra comemorar a marca de dois jogos e duas vitórias. “É realmente especial pra gente jogar aqui. Nós treinamos muito nessa praia e nos sentimos como se estivéssemos em casa”, comentou Marleen Van Iersel que ainda se diz privilegiada de ter o apoio de amigos e familiares nesse fim-de-semana.

E esse suporte já rendeu frutos a dupla que no ano passado conquistou a medalha de bronze nessa etapa. Mas elas querem ainda mais em 2008. “Seria muito bom se melhorássemos nosso resultado de 2007”, completou a jogadora.

Brasileiros se garantem nas semifinais

O Brasil é o primeiro país a garantir duplas nas semifinais da chave masculina do Aberto de Barcelona do Circuito Mundial. Com quatro vitórias na competição Ricardo/Emanuel e Pedro/Harley já estão com a vaga garantida, enquanto Márcio e Fábio Luiz lutam através da repescagem para alcançar os compatriotas.

A primeira dupla brasileira a se garantir no final four foi Ricardo/Emanuel. Com uma atuação impecável nos dois primeiros dias do torneio elas conseguiram manter a invencibilidade, não só em jogo mas também sem sets. Somando os dois resultados dessa sexta são agora quatro vitórias com nenhum set perdido. No primeiro jogo do dia elas venceram a reedição da final olímpica de Atenas. Com uma vitória incontestável sobre os espanhóis Herrera/Mesa - duplo 21-17 – os brasileiros se classificaram as quartas-de-final da competição, onde venceram os russos Barsouk e Kolodinsky também por dois sets a zero, parciais de 21-17 e 21-18.

Já Pedro/Harley tiveram desafios maiores para garantira a vaga. Depois de um clássico disputadíssimo contra Márcio/Fábio Luiz, com vitória de 2x1 (21-18/18-21/15-12), eles precisaram novamente de mais de uma hora para bater os alemães Brink/Dieckmann (2x1 – 21-19/16-21/15-12). “Foram dois jogos equilibrados e duríssimos. Felizmente, acho que levamos vantagem na parte psicológica contra o Fábio Luiz e o Márcio. Como já prevíamos, foi uma partida nervosa, mas dentro de um clima de respeito e na qual procuramos jogar nos divertindo. Contra os alemães, parece que tudo vem dando certo para a gente. Nosso jogo se encaixa e flui legal sempre que os enfrentamos. Hoje, nem atuamos tão bem, mas o importante foi ganhar novamente”, analisou Pedro Solberg.

Os brasileiros esperam amanhã a definição da repescagem para conhecer seus adversários. Mas expertos os jogadores sabem que não podem se acomodar com o descanso maior do que as outras duplas antes da partida que vale a vaga na decisão. “Vamos treinar pela manhã, para entrar no clima e começar a pegar ritmo de jogo”, disse Pedro.

- Márcio e Fábio Luiz a duas vitórias da semifinal

Depois da derrota para os rivais Pedro/Harley, os campeões mundiais Márcio e Fábio Luiz se recuperaram com uma vitória em três sets sobre os italianos Lione/Varnier. Abalados pela derrota anterior os brasileiros perderam o primeiro set do jogo (21-17), mas se reencontraram na partida e conseguiram a virada com os placares de 21-18 e 15-10.

O resultado mantém a dupla na briga pelo título da etapa espanhola. Amanhã eles continuam uma série de jogos eliminatórios, primeiro contra os irmãos franceses Ces, e depois com os russos que foram derrotados por Ricardo/Emanuel. Se vencerem esses dois desafios a dupla enfrenta Harley/Pedro novamente, dessa vez na luta pela vaga na decisão da etapa.

Brasil 1x1 EUA na definição das últimas vagas nas semifinais

Nos duelos entre Brasil e Estados Unidos pelas últimas vagas nas semifinais da quinta etapa do Circuito Mundial Feminino de Vôlei de Praia cada país levou a melhor em um jogo.

A vitória brasileira veio com Renata e Talita. Ausentes do final four nas duas últimas etapas, depois de terem disputado as duas primeiras finais do ano, as brasileiras garantiram a vaga com uma vitória de dois sets a zero sobre Jennifer Boss e April Ross. Em trinta e seis minutos a vitória veio com parciais de 21-18 e 21-14. Já Ana Paula e Shelda foram derrotadas por Branagh/Youngs, também por 2x0, e deixam a competição com o quinto lugar. As brasileiras chegaram a abrir vantagem no placar nos dois sets, mas acabaram tomando a virada e foram derrotadas com as parciais de 27-25 e 21-19.

Nas semifinais Juliana/Larissa, que haviam se classificado a essa fase ontem com a vitória sobre Renata/Talita, enfrentam as algozes de Ana Paula e Shelda. Já Renata e Talita pegam velhas conhecidas pela frente: as gregas Arvaniti/Karadassiou. “Nós enfrentamos muitas vezes e também já treinamos muito juntas. Por isso nos conhecemos muito bem, o que acaba mostrando o equilíbrio em nossos jogos”, comentou Renata.

As brasileiras levam vantagem no histórico dos confrontos: Juliana/Larissa têm três vitórias e uma derrota, e Renata/Talita sete jogos vencidos contra cinco perdidos. Mas, as adversárias venceram a última vez em que os confrontos ocorreram.

Bruno e Billy perdem e deixam Barcelona em 17º

Depois de conseguirem ontem a sua primeira vitória em uma chave principal de etapa do Circuito Mundial de Vôlei de Praia, quando passaram pelos franceses Gagliano/Dugrip, Bruno Schmidt e Billy não conseguiram manter o desempenho e foram eliminados da disputa na primeira partida da dupla nessa sexta-feira.

Jogando pela repescagem eles chegaram a apresentar certa resistência no primeiro set da partida contra a dupla Lochhead/Pitman, quando foram derrotados pela contagem mínima (19-21), mas acabaram facilmente derrotados na parcial seguinte por 21-12. Com a derrota a dupla que avançou pelo qualifying deixa a competição com o 17º lugar, melhor colocação da dupla em uma etapa do mundial – antes eles haviam ficado em vigésimo quinto na etapa do Brasil.

Harley e Pedro vencem duelo contra rivais e estão nas quartas-de-final

Como era de se esperar o duelo entre as duas duplas brasileiras que brigam diretamente pela segunda vaga do país nos Jogos Olímpicos de Pequim foi emocionante. Em partida que durou uma hora e quinze minutos Harley e Pedro Solberg levaram a melhor e garantiram a vaga nas quartas-de-final da etapa de Barcelona do Circuito Mundial.

Depois de vencerem o primeiro set por 21-18 os líderes do ranking mundial na temporada viram seus rivais Márcio e Fábio Luiz devolverem o mesmo placar na parcial seguinte, forçando assim a disputa do tie-break. No set desempate porém Harley/Pedro voltaram a comandar o placar e fecharam a partida em 15-12, avançando assim na competição na chave dos vencedores aonde enfrentam agora um grande desafio. Para chegar a semifinal da competição a dupla precisará passar pelos alemães Brink/Dieckmann. Apesar de terem o retrospecto de cinco vitórias e nenhuma derrota os brasileiros sabem da dificuldade do jogo. “Enfrentamos eles duas vezes na Itália, inclusive na final, e foram dois jogos com parciais alta. Não tem moleza daqui pra frente”, analisou o carioca Pedro Solberg.

Já Márcio e Fábio Luiz terão agora que disputar a repescagem. Os adversários do brasileiros saem do confronto entre os italianos Lione/Varnier e os neo-zelandeses Lochhead/Pitman.

- Ricardo/Emanuel vencem revanche da final olímpica

A outra dupla brasileira classificada as quartas-de-final do torneio é Ricardo/Emanuel. Os brasileiros vencerem na quadra central os donos da casa Herrera e Mesa.

O jogo que reeditou a final da última Olimpíada, disputada em Atenas, teve apenas quarenta e quatro minutos. Em um jogo dominado desde o início os brasileiros não tiveram dificuldade em impor a vitória com duplo 21 a 17. Agora eles enfrentam os russos Barsouk e Kolodinsky na luta por uma vaga na semifin

Brasileiras e americanas decidem últimas vagas nas semifinais

Foram definidos agora a pouco os dois últimos jogos da repescagem. Logo cedo em Barcelona as duas duplas americanas que seguiam na disputa vencerem seus duelos contra as alemãs e se classificaram para a disputa contra as brasileiras Renata/Talita e Ana Paula/Shelda. Os jogos que tem previsão para iniciar as nove da manhã, no horário de Brasília, decidem as duas últimas vagas nas semifinais da competição.

Renata e Talita terão pela frente o tira-teima contra Boss/Ross. As americanas, que venceram agora a pouco as alemãs Pohl/Rau (2x0 – 21-17/21-15), ganhara o último confronto entre as duplas – na etapa de Osaka – mas as brasileiras haviam vencido o primeiro jogo. Por isso o histórico do confronto está empatado em 1-1. Já Ana Paula e Shelda querem manter a invencibilidade contra Branagh/Youngs (no histórico do confronto foram duas vitórias e nenhuma derrota das brasileiras). As americanas suaram para conseguir a classificação. Em jogo de três sets elas venceram as alemãs Goller/Ludwig (21-15/16-21/15-13).

Quem vencer o primeiro duelo enfrenta as gregas Karantasiou e Arvaniti, já a dupla que sair do segundo jogo pega as brasileiras Juliana/Larissa.

quinta-feira, 29 de maio de 2008

Duelo pelo acesso a quarta rodada e pelos Jogos de Pequim

Quando iniciaram a temporada do Circuito Mundial em 2008 Márcio/Fábio Luiz esperavam uma diminuição na diferença deles para Pedro/Harley no ranking que define as duplas brasileiras que disputarão os Jogos de Pequim, mas os campeões mundiais em 05 não imaginavam que a diferença de 600 pontos cairia para apenas 180 em tão pouco tempo. Nem mesmo os “novatos” Pedro/Harley, que se juntaram no início de 2007 achavam que conseguiriam tão rapidamente colocar a sua dupla na briga direta pela segunda vaga brasileira.

Mas, com três medalhas de ouro em cinco etapas disputadas no circuito masculino esse ano Pedro/Harley começaram a sonhar mais alto, embora ainda apontem seus rivais como favoritos. “Eles são os favoritos a essa vaga, nós temos que correr atrás ainda”, disse humildemente o carioca Pedro Solberg. Mesmo assim ele sabe que uma vitória frente os rivais amanhã, na terceira rodada da etapa de Barcelona, coloca a sua dupla em situação favorável sobre os adversários – mesmo sabendo que a dupla derrotada no confronto segue na briga através da repescagem. Por isso o jogador aposta que essa será uma das partidas mais emocionantes da etapa espanhola: “A cobra vai fumar dentro de quadra. Será um jogão”.

Do outro lado a aparente tranqüilidade de Márcio/Fábio Luiz, garantida pela vantagem no ranking olímpico, vai embora quando os jogadores são perguntados sobre o confronto direto contra os rivais. Mesmo continuando a afirmar que sua dupla está com a preparação voltada aos Grand Slams – etapas que valem mais pontos – Márcio sabe da importância do duelo. “Será um jogo muito mental, por tudo que está por trás dele. Mas estamos preparados. O Fabão recuperou a confiança, voltou a jogar bem e estamos otimistas, porque há algum tempo não ganhávamos duas no primeiro dia”, analisou otimista o jogador.

O jogo, marcado para as sete da manhã dessa sexta-feira, será o quinto duelo entre as duplas em etapas do mundial. A vantagem é de Pedro/Harley que tem três vitórias, incluindo a desse ano em Xangai, contra apenas uma dos rivais. Mas, ao contrários das derrotas, o único jogo vencido por 2x0 foi quando Márcio e Fábio Luiz levaram a melhor.

Ana Paula e Shelda perdem e agora dependem da repescagem

Nas duas partidas válidas pela quarta rodada da etapa de Barcelona do Circuito Mundial Feminino três times brasileiros disputavam duas vagas nas semifinais, mas apenas Juliana/Larissa – que vencerem o duelo contra as compatriotas Renata/Talita – conseguiram a classificação.

Assim como suas rivais na disputa pela segunda vaga brasileira nos Jogos de Pequim, Ana Paula e Shelda acabaram perdendo seu primeiro jogo na competição e agora terão que vencer na repescagem para conseguir alcançar o final four. Depois de terem vencido os seus três primeiros jogos as veteranas não fizeram frente as gregas Karantasiou e Arvaniti. As campeãs européias precisaram de apenas quarenta minutos para impor a vitória frente as brasileiras com as parciais de 21-15 e 21-17.

Amanhã, as nove da manhã no horário de Brasília, Ana e Shelda voltam a quadra para disputar uma partida pela repescagem. O jogo eliminatório contra as vencedoras do confronto entre as americanas Branagh/Youngs e Goller/Ludwig é a segunda tentativa de chegar a semifinal. Quem perder o confronto deixa a competição com o quinto lugar.

“Vamos concentrar nossas forças nesta disputa por uma vaga nas semifinais. Teremos quase um dia para recuperarmos a energia até a decisão”, comentou Ana Paula que junto com sua nova parceira ficou com o quinto lugar na etapa anterior, disputada em Osaka, com duas derrotas seguidas, na quarta rodada e na repescagem. Por isso a jogadora sabe da importância de continuar na briga por pontos válidos para a classificação rumo a Pequim.

Juliana e Larissa batem rivais e estão na semifinal

O jogo foi mais fácil do que o esperado. Em pouco mais de quarenta minutos Juliana e Larissa venceram as compatriotas Renata/Talita e garantiram a vaga na semifinal da etapa de Barcelona do Circuito Mundial de Vôlei de Praia.

A partida que encerrou o dia de disputas na quadra central do complexo montado em uma das mais belas praças da cidade catalã teve um começo arrasador por parte das campeãs pan-americanas. Logo de cara Juliana/Larissa impuseram 5-0 no placar e, mesmo com as rivais diminuindo a diferença para três pontos em duas oportunidades, as atuais campeãs do mundo conseguiram ainda ampliar mais a vantagem e fechar o set em 21-14. Na seqüência Renata/Talita pareciam dar impressão que reagiriam e levariam a disputa para o set desempate, mas depois de estarem vencendo por 18-13 tomaram a virada e acabar derrotadas por 22-20.

“Sendo umas das favoritas no circuito você precisa estar preparada para reagir a situações desfavoráveis”, analisou Juliana após o jogo. Para ela além de assegurar a vaga na semifinal, a vitória foi importante pois evitou que sua dupla precisasse disputar a repescagem. “Esse é o nosso terceiro torneio seguido. Acho que estamos jogando bem, mas sinto que estamos cansadas. Poucos times conseguem sair de uma repescagem para ganhar um título, por isso tivemos méritos na semana passada. Mas isso aumentou ainda mais o nosso cansaço”, completou a jogadora que aproveitou para confirmar que sua dupla não disputara a etapa da Polônia, semana que vem, para um breve descanso antes do início de uma série de quatro Grand Slams.

A dupla brasileira derrotada ainda tem chances de continuar na briga pelo ouro na Espanha. Para isso Renata e Talita terão que passar pelo único jogo que disputarão na repescagem. As adversárias da dupla saem do confronto entre as alemãs Pohl/Rau e as americanas Boss/Ross.

Maria Calara e Carol perdem os dois jogos do dia e são eliminadas

Depois de cinco vitórias na etapa (um jogo no country-quota, dois no qualifying e dois no torneio principal) as irmãs Maria Calara e Carol acabaram sendo derrotadas nas duas partidas dessa quinta-feira e deixam a etapa de Barcelona do Circuito Mundial com a nona colocação.

O primeiro revés na etapa ocorreu em um duelo caseiro. As filhas da ex-jogadora Isabel não resistiram as compatriotas Renata e Talita e foram derrotadas por dois sets a zero, com parciais de 18-21 e 20-22. Com o resultado a dupla foi jogar a repescagem e logo de cara tiveram um grande desafio pela frente: as americanas Branagh e Youngs. As adversárias que haviam caído à chave dos perdedores depois da surpreendente derrota frente as cubanas Crespo e Ribalta, conseguiram sua segunda vitória no dia por dois sets a zero e voltam a manter-se com chances de disputar o título da etapa. Depois de vencerem as mexicanas Candelas e Garcia as americanas impuseram uma nova vitória, dessa vez contra as brasileiras, em apenas trinta e nove minutos de jogo (parciais de 21-14 e 21-18).

Agora Maria Clara e carol seguem para a Polônia, aonde semana que vem disputam mais uma etapa do Circuito Mundial de Vôlei de Praia.

Bruno e Billy se recuperam e seguem na disputa

Depois de terem sido derrotados na primeira rodada pelos favoritos Brink e Dieckmann, da Alemanha, com parciais de 21-16 e 21-14, os brasileiros Bruno Schmidt e Billy, que passaram pelo country-quota e qualifying, já asseguraram sua melhor colocação em uma etapa do Circuito Mundial.

A dupla que ano passado disputou a etapa brasileira e foi eliminada com duas derrotas, ficando com a 25ª colocação, venceu agora a pouco o seu primeiro desafio na repescagem em Barcelona. No jogo contra os franceses Gagliano e Dugrip, eles precisaram de apenas trinta e dois minutos para alcançar a vitória. Depois de vencerem apertado o primeiro set (21-19), os brasileiros impuseram melhor seu ritmo de jogo na seqüência e conquistaram a vitória por 21-13.

Amanhã eles seguem a luta para continuar conseguindo avançar na chave dos perdedores. Pra isso eles não podem perder mais nenhum jogo, caso contrário serão eliminados. Apesar do 17º lugar garantido a dupla que mais, e espera vencer os neo-zelandeses Lochhead e Pitman, que hoje venceram Renatão/Jorge – que no mundial defendem a República da Geórgia – e acabaram jogados a repescagem com a derrota frente Ricardo/Emanuel.

Pedro/Harley e Márcio/Fábio Luiz suam para conseguir avançar

Apenas Ricardo e Emanuel tiveram vida fácil no primeiro dia de disputa da chave masculina no Aberto de Barcelona, vencendo seus dois jogos sem perder um set sequer. Todas as outras duplas brasileiras que seguem na chave dos vencedores – já que Bunro/Billy disputam a repescagem – precisaram de três sets para vencer o seu segundo desafio.

Depois de atropelarem a dupla venezuelana Mussa/Fañe na estréia, Pedro e Harley precisaram de mais de uma hora para bater os noruegueses Kjemperud/Skarlund. Depois de terem vencido o primeiro set por 21-18, os brasileiros tomaram o troco por parte dos europeus no segundo (17-21). Mas, mantendo a calma, os campeões de três das cinco etapas disputada pelo mundial esse ano conseguiram fechara a partida com 15-11 no tie-break.

Já Márcio e Fábio Luiz, quarto colocados semana passada em Zagreb, precisaram virar o jogo contra os holandeses De Gruijter/Ronnes para chegarem as oitavas-de-final. Depois da derrota no primeiro set por 21 a 18, a dupla campeã mundial em 2005 não tomou conhecimento dos adversários e atropelou os europeus por 21-16 e 15-08.

Agora as duas duplas se enfrentam na terceira rodada do torneio, sendo que quem vencer o desafio caseiro assegura vaga nas quartas-de-final da competição. Pedro/Harley levam vantagem no histórico de confronto em etapas do Mundial. São três vitórias, incluindo a desse ano em Xangai, e apenas uma derrota para Márcio e Fábio Luiz. Enquanto isso, Ricardo e Emanuel terão a difícil missão de bater Herrera e Mesa, que jogam em casa. Apesar de o histórico ser favorável aos brasileiros (5-1) na única vez em que enfrentaram esse ano, no Aberto de Xangai, a vitória ficou com a dupla da Espanha (2x0 – 21-18/21-17).

Brasil garante vaga na semifinal na chave feminina

O Brasil garantiu agora a pouco, por antecipação, uma das duas vagas nas semifinais que são definidas pela chave dos vencedores. Com um duelo nacional entre os dois jogos da quarta rodada o país tem ainda a chance de garantir a outra vaga, já que três times brasileiros alcançaram as quartas-de-final da etapa de Barcelona.

O duelo entre compatriotas acontecerá daqui a pouco, a uma da tarde no horário de Brasília, e envolve as duas principais duplas do país. Pela segunda vez esse ano no circuito internacional Juliana/Larissa e Renata/Talita se enfrentam em jogo que vale vaga no final four, sendo que na primeira a vitória foi das vice-líderes do ranking olímpico, na etapa Chinesa onde se sagraram campeãs. Em Xangai inclusive aconteceram os únicos dois duelos vencidos por Renata e Talita na temporada, já que Juliana e Larissa venceram todas as outras cinco vezes em que as duplas se enfrentaram (três pelo circuito nacional e duas pelo mundial).

Para alcançarem à terceira rodada Renata/Talita tiveram que vencer seu primeiro desafio caseiro. Em jogo válido pela terceira rodada elas derrotaram as irmãs Maria Clara e Carol em um jogo bastante disputado. Em quarenta e três minutos de partida a vitória veio com as parciais de 21-18 e 22-20. Já Juliana e Larissa precisaram de três sets para bater as suíças Kuhn/Scher, que antes haviam derrotado as americanas Wacholder e Turner. Depois de vencerem o primeiro set (21-16) as brasileiras foram surpreendidas no segundo (19-21), mas conseguiram manter a calma para fechar o set desempate e a partida com 15-08.

A outra dupla brasileira que tenta chegar a semifinal é Ana Paula e Shelda. Depois de um primeiro dia impecável em que venceram seus dois jogos sem perder um set as brasileiras tiveram que suar a camisa para conseguir a virada sobre as americanas Boss/Ross. Derrotadas no primeiro set por 21-13 as veteranas venceram os dois seguintes no sufoco (21-19 e 15-13) e se classificaram as quartas-de-final. Agora elas terão pela frente as gregas Arvaniti e Karadassiou, que foram derrotadas pelas brasileiras na etapa de Xangai por dois sets a zero (21-15 e 21-18).

Ricardo e Emanuel estréiam bem em busca do seu primeiro pódio

Em busca de melhorar a suas atuações visando os Jogos Olímpicos de Pequim a dupla brasileira que tenta o bi olímpico, Ricardo e Emanuel, querem começar em Barcelona a conseguir ter melhores resultados.

“Vamos entrar num período importante, que é a reta final de definição das vagas e de preparação para Pequim. É agora que tudo tem que dar certo, a hora de fazer os ajustes, hora de acertar os detalhes e de jogar o nosso melhor”, comentou o baiano Ricardo. E a sua dupla parece ter conseguido colocar em prática tudo isso no primeiro dia da chave principal na Espanha.

Com duas vitórias, sem perder um set sequer, os brasileiros avançam a terceira rodada da competição. Primeiro foi a vitória frentes os donos da casa Luna/Marcos (21-16 e 21-18) e depois sobre os neo-zelandeses Lochhead/Pitman, com parciais de 21-18 e 21-14.

Na próxima rodada eles terão mais um desafio contra uma dupla anfitriã. Dessa vez, se quiseram avançar as quartas-de-final da competição, terão que passar pela principal dupla espanhola. Herrera e Mesa se classificaram a terceira rodada com duplo 21-19 sobre os cubanos Alvarez e Ramirez e com a desistência da dupla italiana Lione/Varnier, quando esses perdiam o tie-break por 8-0. mesmo sendo considerados favoritos no duelo, Emanuel acha que sua dupla tem que manter o foco para continuar bem na etapa. “Jogamos bem, mas perdemos na Croácia numa bobeada no fim do jogo contra os chineses. As duplas estão muito niveladas, jogando no mesmo ritmo e o equilíbrio é muito grande. Por isso todo cuidado é necessário”, comentou o jogador

Brasil tem três vitórias e uma derrota na primeira rodada

Como era esperado o Brasil conseguiu três vitórias, mas teve um revés, na primeira rodada da etapa de Barcelona do Circuito Mundial Masculino de Vôlei de Praia.

A derrota brasileira foi no jogo que envolvia a dupla vinda do qualifying e os alemães Brink e Dieckmann, cabeças-de-chave número dois do torneio. Sem conseguir apresentar o seu melhor vôlei Bruno Schmidt e Billy foram facilmente derrotados pelos europeus em quarenta e dois minutos de jogo, com parciais de 21-16 e 21-14.

Mas, as outras três duplas que representam o país na competição, avançaram a segunda rodada sem grandes sustos. Ricardo e Emanuel foram os primeiros a conseguir a classificação, quando precisaram de apenas trinta e seis minutos para derrotar os donos da casa Luna/Marcos com parciais de 21-16 e 21-18. Depois foi a vez de Pedro/Harley atropelarem os venezuelanos Mussa/Fane (2x0 – 21-09 e 21-15) e Márcio/Fábio Luiz passarem pela dupla lusitana Pedrosa/Rosas, também sem perder um set (21-13/21-15).

Agora os brasileiros terão o segundo desafio do dia. Enquanto Bruno e Billy enfrentam os franceses Gagliano e Dugrip em jogo eliminatório, as outras três duplas tentam chegar as oitavas-de-final da competição. Para isso, Ricardo/Emanuel precisam bater os neo-zelandeses Lochhead e Pitman, enquanto Pedro/Harley tentam a quarta vitória, primeira do ano, sobre os noruegueses Kjemperud/Skarlund, e Márcio/Fábio Luiz jogam contra os holandeses De Gruijter e Ronnes. As duplas já se enfrentaram quarto vezes, com quatro vitórias para os brasileiro, sendo o último confronto semana passada em Zagreb. Todos os jogos foram vencidos pelos brasileiros por dois sets a zero.

Confirmando o favoritismo e avançado na competição de forma invicta Ricardo/Emanuel pegam os vencedores de Herrera/Mesa e Lione/Varnier, enquanto os outros dois times brasileiros podem se enfrentar no primeiro jogo de amanhã.

quarta-feira, 28 de maio de 2008

Sem principal time americanas tem apenas uma dupla nas oitavas

Com a decisão de Walsh e May de disputarem apenas os Grand Slams, que terão inicio em Berlim no dia 09 de junho, as outras duplas americanas lutam para conseguir pontos na disputa pela segunda vaga do país nos Jogos Olímpicos de Pequim. Mais do que isso, as americanas vêem sem a presença das compatriotas a chance de tentar conseguir levar um título em 2008, já que o melhor resultado na temporada de uma dupla dos Estados Unidos foi o bronze de Branagh/Youngs em Seul.

Mas, o primeiro dia de disputa da quarta etapa do tour mundial não foi bom para as duplas desse país. Apesar dos três times terem vencido seus primeiros jogos, dois deles acabaram sendo surpreendidos na segunda rodada e terão que disputar agora a repescagem. Apenas Boss/Ross seguem invictas na competição – vitórias de 2x0 sobre as irmãs finlandesas Nystrom e as japonesas Teru Saiki/Kusuhara - e terão pela frente amanhã as brasileiras Ana Paula e Shelda.

A primeira derrota americana veio com Wacholder/Turner, que depois de vencerem as brasileiras naturalizadas na República da Geórgia (Cris/Andressa) por 2x1 (21-13/14-21/15-12) foram derrotadas na seqüência pelas suíças Kuhn e Schwer. Apesar do placar apertado no primeiro set (23-21), na parcial seguinte as européias dominaram o jogo e fecharam com 21-17. Depois, foi a vez da maior zebra da rodada acontecer: As cubanas Crespo e Ribalta conseguiram a virada sobre Branagh/Youngs após a derrota no primeiro set (17-21), fechando o jogo na seqüência com as parciais de 21-19 e 15-11.

Agora as duas duplas derrotadas enfrentam uma série de partidas eliminatórias para manterem-se vivas na competição. Enquanto a quarta dupla americana enfrenta as holandesas Kadijk/Mooren, Branagh e Youngs pegam pela segunda etapa consecutiva a dupla considerada a grande surpresa do início de 2008: as mexicanas Candelas e Garcia. No jogo realizado em Osaka as americanas venceram por dois sets a zero, parciais de 21-17 e 21-16.

CBV oficializa o calendário do brasileiro sub-21

A Confederação Brasileira de Vôlei confirmou que o Campeonato Brasileiro sub-21 de Vôlei de Praia, que define as duplas que representarão o país no mundial da categoria entre os dias 3 e 7 de setembro na Inglaterra.

Depois da primeira etapa, disputada entre os dias 01 e 04 de maio em Saquarema, quando as atletas do Rio de Janeiro dominaram o feminino, conquistando ouro e prata, e os paraibanos ficaram com as duas primeiras colocações no masculino, as duplas que serão o futuro da modalidade esportiva no país voltam a se enfrentar em junho. A segunda etapa será disputada em João Pessoa, entre os dias 26 e 29.

Depois, duas etapas em julho definem as duplas que irão para a Grã-Bretanha. Primeiro Fortaleza recebe as duplas entre os dias 03 e 06, depois será a vez da cidade paranaense Maringá ter os jogos entre os dias 17 e 20.

Ricardo/Emanuel escapam dos brasileiros mas enfrentarão os donos da casa

Cabeças-de-chave número um do Aberto de Barcelona do Circuito Mundial de Vôlei de Praia Masculino, Ricardo e Emanuel escaparam da chave onde estão todas as outras três duplas brasileiras. Com isso, caso avancem de forma invicta na competição, só cruzam com os compatriotas em uma possível final.

Mas, por outro lado, eles terão que enfrentar adversários que contarão com todo o apoio da torcida local. Logo de cara eles pegam os espanhóis Francisco Luna e Francisco Marco, convidados da organização do evento, em jogo que abre a programação dessa quinta na quadra central as quatro horas da madrugada (horário de Brasília). Porém o maior desafio nessa primeira fase deverá acontecer na terceira rodada, que será disputada apenas na sexta-feira, quando se confirmarem o favoritismo e passarem com duas vitórias no primeiro dia Ricardo/Emanuel e Herrera/Mesa – principal dupla da Espanha no circuito – se enfrentarão em jogo que vale vaga nas quartas-de-final do torneio.

Do outro lado da chave masculina estão as outras três duplas do Brasil. Depois de passarem pelos desafios do country-quota e qualifying, Bruno Schmidt e Billy não terão moleza na estréia na chave principal da competição. Na primeira rodada eles terão que vencer os alemães Julius Brink e Christoph Dieckmann, cabeças-de-chave número dois e que na Itália (última etapa do mundial disputada pela dupla) venceram os brasileiros Ricardo/Emanuel e Márcio/Fábio Luiz.

Já Pedro e Harley tentam se recuperam da colocação da etapa anterior, quando ficaram em último lugar em Zagreb. A dupla que venceu três das cinco etapas já disputadas na temporada tentam a segunda vitória contra os venezuelanos Farid Mussa e Jesus Villafañe no ano. Em Xangai, eles também tiveram o confronto sul-americano na primeira rodada e venceram o jogo com 21-16 e 21-15.

Márcio e Fábio Luiz completam a tropa brasileira que irá lutar para conquistar a primeira etapa disputada em Barcelona. Quarto colocados na semana passada, os campeões mundiais de 2005 tentam chegar na Espanha ao seu primeiro pódio internacional em 2008. Na estréia eles enfrentam velhos conhecidos. Já foram três jogos, todos vencidos por dois sets a zero, contra os portugueses José Pedrosa e Pedro Rosas.

Adversárias de Juliana/Larissa querem mais em Barcelona

Depois de terem ficado em último lugar duas semanas atrás, na Coréia do Sul, Simone Kuhn e Lea Schwer querem mostrar em Bracelona que tem condições de brigarem por colocações melhores nas etapas do Circuito Mundial.

“Precisamos terminar do nono lugar pra cima para melhorarmos nossa classificação olímpica”, disse a jogadora de 27 anos Kuhn. E é com essa motivação que elas enfrentam amanhã as atuais campeãs mundiais Juliana/Larissa. “Não jogamos bem as primeiras etapas do mundial esse ano, então queremos provar a nós mesmas que somos melhores que os resultados anteriores. Também precisamos provar a nós mesmas que somos capazes de jogar contra os melhores times e ganhar”, completou a jogadora.

E o primeiro passo para conseguir essas vitórias e guinada na temporada já foi dado hoje, quando depois de passarem pelas donas da casa Alcon e Matveeva (2x0 – 21-17/21-18), jogando na quadra central com a torcida toda contra, elas bateram outras favoritas na seqüência. A vitória sobre as americanas Wacholder e Turner, também sem perder um set (23-21/21-17), colocou as européias na terceira rodada do torneio, o que garante no mínimo a nona colocação a dupla. “Eu não acho que fizemos nada diferente hoje do que vínhamos fazendo, nós apenas jogamos bem e soubemos aproveitar os momentos de fechar os sets e as partidas. Estamos muito felizes de já termos alcançado nosso objetivo na etapa, mas queremos mais”, emendou Simone.

Para o técnico da dupla brasileira que enfrenta as suíças na próxima rodada, Reis Castro, as suas pupilas devem confirmar o favoritismo, mas todo cuidado é pouco. “A dupla suíça derrotou uma parceria forte dos Estados Unidos e está em bom momento. Elas são altas e, apesar de não terem grande habilidade, costumam dar trabalho. Mas Juliana e Larissa estão jogando bem”, analisou o técnico.

Brasil garante ao menos uma dupla nas quartas-de-final

Com aproveitamento de 100% nos oito jogos que envolveram duplas brasileiras no primeiro dia da chave principal do Aberto de Barcelona o país garantiu por antecipação uma vaga nas quartas-de-final da competição, e ainda tem chances de garantir também uma vaga na semifinal.

Isso porque em um dos confrontos da terceira rodada se enfrentarão as compatriotas Renata/Talita e Maria Clara/Carol. O jogo poderá definir ainda as adversárias de Juliana/Larissa nas quartas-de-final do torneio, caso as campeãs pan-americanas confirmem o favoritismo frente as suíças Kuhn/Schwer – até agora são sete vitórias, todas por 2x0, e nenhuma derrota contra as européias.

Para chegar à terceira rodada da competição as irmãs Maria Clara/Carol e Renata/Talita tiveram caminhos parecidos. Depois de vencerem por dois sets a um, respectivamente, Minusa/Jursone (21-17/15-21/15-12) e Martin/Cooke (21-16/19-21/15-10) na primeira rodada, as brasileiras passaram pelo seu segundo compromisso sem grandes dificuldades. Renata e Talita bateram as irmãs austríacas Schwaiger (21-15/21-14), enquanto as filhas de Isabel venceram a dupla da Filipinas, Ilustre e Pascua, com parciais de 21-13 e 21-16.

Já Juliana e Larissa venceram seus dois compromissos do dia sem perder um set – 21-15/21-09 em cima das espanholas Hopf e 21-15/24-22 sobre as cubanas Fernandez/Peraza, na re-edição da final dos Jogos Pan-Americanos do Rio – e com isso alcançaram a vitória de número 500 da carreira. “Estamos muito felizes por atingir essa marca importante em nossa carreira. Estamos juntas há quatro anos e, nesse tempo, tivemos muitas alegrias”, comentou Juliana sobre a marca histórica.

Na outra chave, Ana Paula e Shelda terão a difícil missão de bater as americanas Jennifer Boss e April Ross para manter-se invictas na cidade espanhola. Hoje, Shelda alcançou a marca de seiscentas vitórias em Circuito Mundial ao passar invicta pelos dois jogos do dia. “É claro que estou muito contente, é sempre bom bater recordes e marcas. Mas tudo isso não teria sido possível sem a minha amiga e eterna parceira Adriana Behar. Ao longo dos últimos 12 anos tudo o que conquistei foi ao lado dela. Então esta vitória também é dela”, comentou a veterana que hoje joga ao lado de Ana Paula. A dupla que ficou com a quinta colocação semana passada em Osaka venceu as partidas contra as suecas Lundqvist/Ljungquist e as alemãs Claasen/Rodeur sem perder um set, respectivamente com as parciais de 21-18/21-13 e 21-17/21-16.

Brasileiros chegam pela primeira vez a um main draw

A dupla Billy/Bruno Schmidt optou em disputar as principais etapas do Circuito Mundial em 2008, por isso desde a semana passada vem tendo o desafio de conseguir ser a quarta dupla brasileira nos torneios pela Europa. Se em Roseto, na Itália, a estréia foi ruim, com a derrota logo no primeiro jogo do country-quota – 2x1 para Benjamin e Luizão – agora em Barcelona eles conseguiram atingir o seu primeiro objetivo: participar da chave principal de uma etapa do circuito.

Após a dupla vitória no country-quota na Espanha – 2x1 contra Alisson/Bernardo e 2x0 em Benjamin/Luizão – os brasileiros voltaram ao complexo montado no Parque Montjuic hoje para a disputa do qualifying. E a estréia na fase de qualificação internacional não poderia ter sido melhor: duas vitórias e nenhum set perdido.

Logo de cara eles atropelaram os austríacos Huber e Blauel, em trinta e oito minutos de partida, com as parciais de 21-17 e 21-11. Na seqüência um pouco mais de dificuldade, mas mesmo assim a vitória contra a dupla da Letônia. Com parciais de 21-18 e 24-22 passaram por Samoilovs e Plavins e conseguiram uma das oito vagas em disputa no qualifying.

Agora eles se juntam a Ricardo/Emanuel, Márcio/Fábio Luiz e Pedro Solberg/Harley na chave principal da competição. Mais tarde as quatro duplas brasileiras irão conhecer seus adversários na estréia de amanhã.

Brasil entra com o pé direito nas areias de Barcelona

A estréia das duplas femininas na chave principal do Aberto de Barcelona do Circuito Mundial de Vôlei de Praia não poderia ter sido melhor. Todos os quatro times venceram as suas partidas e se classificaram a segunda rodada da competição.

As primeiras a entrar em quadra foram Juliana/Larissa, e as campeãs pan-americanas atropelaram suas adversárias na estréia. Em apenas vinte e nove minutos elas derrotaram as irmãs espanholas Hopf por dois sets a zero, com parciais de 21-15 e 21-09.

A outra vitória por 2x0 a favor do Brasil ocorreu no último jogo envolvendo brasileiras na primeira rodada. Ana Paula e Shelda tiveram um primeiro set disputado contra as suecas Lundqvist e Ljungquist, quando chegaram a estar atrás do placar mas acabaram vencendo por 21-18, porém se recuperaram na parcial seguinte e fecharam a partida com 21-13 em quarenta e dois minutos. “No Mundial os jogos tem sido difíceis desde a primeira rodada. Não tem mais dupla boba, que você ganha com facilidade”, comentou a veterana Shelda que está a uma vitória de comemorar a marca de seiscentas partidas ganhas no circuito mundial.

Já as outras duas duplas brasileiras tiveram que disputar três sets para seguir na competição. Maria Clara e Carol tiveram um pouco mais de trabalho, já que depois de vencerem o primeiro set por 21-17 e serem derrotadas no seguinte por 21-15 elas tiveram um tie-break decidido em 15-12. Enquanto isso Renata e Talita venceram o primeiro set por 21-16, perderam o seguinte pela contagem mínima (21-19) e se recuperaram no set desempate com 15-10.

- Próximas adversárias são conhecidas das brasileiras

Se passarem pelos seus próximos jogos com vitória Maria Clara/Carol e Renata/Talita farão o primeiro confronto brasileiro na etapa. Para isso as irmãs cariocas têm que vencer Heidi Ilustre e Diane Pascua, das Filipinas, pela terceira vez. Nos dois primeiros confrontos a vitória brasileira apesar de conquistada com dois sets a zero teve parciais altas (27-25/23-21 e 21-13/22-20). Já Renata e Talita terão pela frente as austríacas Doris e Stefanie Schwaiger. Esse será a oitava vez que as duplas se enfrentam, e as brasileiras tem vantagem de 5-2 no confronto.

Nos outros jogos, Ana Paula e Shelda jogam pela segunda vez consecutiva a segunda partida contra as alemãs Helke Claasen e Antje Roder. Na semana passada, em Osaka, elas se classificaram à terceira rodada vencendo as adversárias, no primeiro confronto entre as duplas, com dois sets a zero (21-14/21-15). Enquanto isso, Juliana e Larissa tentam chegar a vitória de número 500 na carreira da dupla contra as “freguesas” cubanas Dalixia Fernadez e Tâmara Perza. A mais de um ano as duplas não se enfrentam, mas nas três vezes que isso aconteceu as brasileiras ganharam as partidas sem perdeu um set sequer.

terça-feira, 27 de maio de 2008

Bruno Schmidt e Billy tentam chegar a chave principal

Campeões ano passado da etapa satélite de Lausanne (Suíça) do Circuito Mundial, Bruno Schmidt e Billy resolveram disputar as principais etapas do calendário internacional nessa temporada. E, apesar de terem estreado com uma derrota no country-quota na semana passada na Itália, a dupla conseguiu passar pela fase caseira de qualificação hoje e estréiam amanhã em um qualifying.

Para tentar chegar pela primeira vez a chave principal de um Open do Circuito Mundial a dupla terá que vencer dois jogos. Logo na estréia eles pegam os austríacos Felix Blauel e Alexandre Huber. Os dois já disputaram em duas etapas o qualifying, mas não conseguiram ainda avançar dessa fase na temporada.

Caso vençam o primeiro desafio os brasileiros terão pela frente em jogo que vale a classificação ao main draw os vencedores do jogo entre Samoilovs/Plavins, da Letônia, e a dupla que passar pela primeira rodada no jogo entre Nausch/Schwab (Áustria) e Andersson/Gunnarsson (Suécia).

Brasileiras estréiam de olho em marcas históricas

Foi definida agora a pouco a chave do torneio principal da etapa feminina de Barcelona do Circuito Mundial de Vôlei de Praia. Das quatro duplas brasileiras que estréiam apenas Maria Clara/carol já enfrentaram as suas primeiras adversárias.

As irmãs cariocas que se classificaram a competição via qualifying enfrentam Inese Jursone e Inguna Minusa, da Letônia, na primeira rodada. Elas esperam não cometer os mesmos erros dos jogos de hoje, quando quase foram surpreendidas pelas neo-zelandesas Blundell e Scarlett. “Jogamos muito mal, principalmente eu. Erramos em todos os fundamentos, principalmente no saque”, comentou Carolina que acredita que sua dupla estará mais concentrada para a estréia na chave principal do torneio.

Se avançarem com vitória no primeiro jogo as filhas da ex-jogadora Isabel terão pela frente as vencedoras do jogo entre as alemãs Goller/Ludwig e Ilustre/Pascua, das Filipinas. E caso mantenham o aproveitamento de 100% no primeiro dia poderá ter pela frente outra dupla brasileira na terceira rodada.

Para isso, Renata e Talita também precisam ter duas vitórias no primeiro dia. A dupla que estréia contra as canadenses Martin/Cooke, terão, caso vençam o primeiro jogo, o desafio de passar pelas norueguesas Hakedal/Torlen ou as austríacas Schwaiger. A vencedora desse possível duelo verde-e-amarelo tem ainda possibilidade de enfrentar nas quartas-de-final a Juliana e Larissa.

As campeãs pan-americanas caíram na mesma chave dessas duas duplas brasileiras, porém só cruzam com elas se ficarem invictas nas três primeiras partidas. Se conseguirem isso a dupla estará inclusive comemorando a sua vitória número quinhentos na carreira, que pode acontecer ainda manhã caso vençam seus dois primeiros compromissos na etapa. “Felizmente, estamos festejando marcas e superando obstáculos com muito trabalho e dedicação desde que começamos a nossa parceria. Vamos dar o nosso melhor para comemorar as nossas 550 vitórias em Barcelona”, comentou Larissa que ao lado de sua parceira estréia contra as espanholas Amparo e Cristina Hopf.

Únicas brasileiras fora dessa chave, Ana Paula e Shelda caíram porem do lado das norte-americanas mais fortes, já que Walsh/May não disputam a etapa. Mas antes de ter que enfrentar as rivais da América do Norte elas terão pela frente primeiro as suecas Lundqvist e Ljungquist, para depois, caso vençam, enfrentarem quem passar pelo jogo entre as francesas Faure/Sarpaux e as alemãs Claasen/Rodder.

Caso passem pelo primeiro dia sem derrotas a jogadora Shelda poderá comemorar a sua vitória de número 600 no Circuito Mundial. “É sempre bacana alcançar mais uma marca. Estarei guardada em mais uma página da história do voleibol de praia”, comentou a veterana que tem ao todo 1126 vitórias em sua carreira, 598 pelo Circuito Mundial e 528 pelo Circuito Brasileiro.

Billy e Bruno surpreendem e estão no qualifying

Com a desistência de Franco e Pedro Cunha de disputarem mais uma etapa do Circuito Mundial o Brasil foi representado por apenas três duplas no country-quota – fase preliminar aonde duplas do país se enfrentam por uma vaga no qualifying.

E dessa vez os representantes brasileiros na fase de qualificação internacional, a ser disputada manhã, serão Bruno e Billy. Para se classificar a dupla enfrentou uma verdadeira maratona para vencer os dois jogos nessa terça em Barcelona. Primeiro foi o desafio de uma hora e cinco minutos contra Alisson e Bernardo, depois mais uma hora e dez minutos contra Luizão e Benajmin.

Na primeira partida Bruno/Billy precisaram virar o jogo para não serem eliminados. Após a derrota no primeiro set por 21-18, conseguiram vencer o segundo set por 21-19 e o tie-break por 15-11. Na partida seguinte mais tempo ainda de partida, apesar da vitória vir em dois sets, mas eles conseguiram a classificação ao vencerem os favoritos Luizão e Benjamin com parciais de 21-19 e 22-20.

Logo mais a dupla conhecerá seus adversários na estréia no Circuito Mundial, junto com as outras três duplas pré-classificadas a chave principal da competição: Ricardo/Emanuel, Márcio/Fábio Luiz e Pedro/Harley.

Recuperada Walsh desafia as adversárias

Parada por três semanas não programadas devido a dores no ombro direito, operado em novembro do ano passado, Kerri Walsh e sua parceira Misty May voltaram com tudo. No fim-de-semana elas conquistaram mais uma etapa da AVP, o circuito norte-americano de vôlei de praia.

“Foram três semanas e eu estava aflita pra jogar”, disse a jogadora que aproveitou par agradecer o apoio de sua parceira: “Misty deu muito suporte e foi uma ótima parceira”. De qualquer forma a volta triunfante ajudou a jogadora a acreditar que não terá mais problemas daqui pra frente. “É bom jogar de novo e mostrar a todo mundo que meu ombro está bom. Nós não perdemos nada por conta disso e nos tornamos um time ainda melhor. Então é melhor todo mundo tomar cuidado”, desafiou a jogadora.

Já sua parceira é mais comedida, e por isso mesmo foi a responsável por esse intervalo entre as etapas. “Não tive medo. Apenas queria que ela ficasse forte. As vezes eu tenho que ser mais forte com ela e mandar ela parar”, brinca a jogadora.

De qualquer forma as duas só voltam a disputar uma etapa do Circuito Mundial no Grand Slam da Alemanha, entre os dis 09 e 14 de junho.

Maria Clara e Carol suam mas avançam à chave principal

As irmãs Maria Clara e Carol tiveram mais trabalho que o esperado, mas com duas vitórias conseguiram se classificar ao main draw da etapa de Barcelona do Circuito Mundial de Vôlei de Praia. Agora elas se juntam a Juliana/Larissa, Renata/Talita e Ana Paula/Shelda na disputa do título da estréia da cidade catalã no circuito internacional.

Para chegarem entre as trinta e duas duplas que disputam a chave principal as irmãs cariocas tiveram que primeiro passar pelo country-quota brasileiro, disputado ontem. Com a vitória sobre Ágatha e Shaylyn elas conquistaram o direito de disputar o qualifying, onde conseguiram avançar na competição.

Na estréia dos jogos de hoje elas precisaram mais de uma hora para bater a dupla Blundell e Scarlett, da Nova Zelândia, por dois sets a zero. Depois de terem vencido o primeiro set pela contagem mínima 21-19 as brasileiras foram surpreendidas no segundo com a derrota por 21-18. Mas mantiveram a calma e souberam aproveitar o erro das adversárias para fechar a partida com 15-12 no tie-break. Na seqüência pegaram Banck e Gunther da Alemanha. Aí a vitória veio um pouco mais fácil, em quarenta minutos, com parciais de 21-16 e 21-13.

As dificuldades não surpreendem a capitã do time Maria Clara. “No Circuito Mundial as duplas estão cada vez mais forte. Hoje em dia não é tão simples conseguir passar pelo qualifying”, comentou a jogadora que só ficou de fora dessa fase na etapa de Osaka, quando ela e sua irmã foram derrotadas ainda no country-quota.

Porto-riquenhos fazem a festa em casa

Não deu para nenhum outro país na etapa de Carolina do Circuito de Vôlei de Praia da NORCECA. Os torcedores que foram assistir aos jogos saíram satisfeitos com o desempenho dos atletas locais na chave masculina.

Os veteranos Raul Papaleo e Ramon Hernandez ficaram com o título ao baterem na decisão os compatriotas Abdel Otero e Juan Carlos Riveira com parciais de 21-17 e 28-26. Mas a festa local ainda teve o bronze, conquistado por Orlando Irrizarry e Roberto Rodriguez, que venceram também a outra dupla de Porto Rico na disputa pelo terceiro lugar. A vitória de dois sets a zero, parciais de 21-14 e 24-22, foi em cima da dupla Gonzales/Mendez.

Entre as mulheres, porém, as atletas locais ficaram apenas com a medalha de bronze. Yarleen Santiago e Sheila Conley venceram as mexicanas Vanessa Virgen e Alejandra Acosta por dois sets a zero (21-17/21-19). Na decisão pelo título as americanas Erin Byrd e Stepanhie Cahpek venceram outra dupla mexicana. As norte-americanas impuseram 22-20 e 21-19 sobre Martha Revueltas e Diana Estrada.

Toninho não joga para uma outra conquista

Em apenas quatro meses ele se tornou líder do circuito Sul-mato-grossense de vôlei de praia, levou a prata na etapa challenger de São Luiz do circuito brasileiro e o título de atleta destaque do vôlei de praia dado pela FUNESP. Mas nenhuma dessas conquistas se aproxima da próxima que Toninho terá.

Está marcada para o dia 01º de junho a chegada de sua primeira filha, Isadora. E em virtude do nascimento da primogênita o atleta abriu mão de disputar a etapa de Jardins do Circuito Estadual de Vôlei de Praia do MS. Com isso, seu parceiro Mauro Nogueira convidou um velho conhecido para a terceira etapa da competição: Maurício.

“Vai ser legal esse reencontro. Será como um filme de 5 anos de parceria passando pela mente em um ou dois dias. Tivemos bons momentos no esporte, como a conquista dos JUBS e não pela grandiosidade do evento, mas pelo reconhecimento que tivemos na época e pelo envolvimento com a faculdade”, afirmou o atleta convidado sobre a volta a antiga parceria. Juntos, Mauro Nogueira e Maurício conquistaram três títulos estaduais.

segunda-feira, 26 de maio de 2008

Maria Clara e Carol devolvem derrota e estão no qualifying

Derrotadas semana passada pelas rivais Ágatha/Shaylyn no country-quota da etapa de Osaka do Circuito Mundial de Vôlei de Praia, Maria Clara e Carol voltaram a se classificar ao qualifying hoje na estréia da etapa de Barcelona.

A disputa pela vaga brasileira na fase de qualificação internacional começou com uma vitória de Ágatha e Shaylyn sobre Maria Elisa e Val. Estreando no mundial nessa temporada as campeãs do challenger brasileiro de São Luiz forma atropeladas no primeiro set (21-9) e mesmo reagindo no segundo (21-19) não evitaram a derrota.

Na seqüência foi a vez das vencedoras do primeiro jogo enfrentarem as filhas de Isabel. “Começamos jogando mal, mas soubemos manter a calma e reverter o quadro”, explicou Maria Clara após a vitória por dois sets a um, com parciais de 12-21, 21-16 e 15-13.

Com o resultado as irmãs cariocas estréiam amanhã no qualifying contra a dupla vencedora do confronto entre Blundell/Scarlett, da Nova Zelândia, e as polonesas Michon-Szczytowicz/Woloszyn.

- Bernardo e Alisson empolgados com vitória na França

Jogando na cidade de Rennes (França) na semana passada, Bernardo e Emanuel venceram uma etapa do circuito francês e acreditam que o título veio em boa hora para a tentativa de avançar pelo country-quota brasileiro.

“Estamos motivados. Ganhamos cinco partidas e aperfeiçoamos o nosso entrosamento”, comentou Bernardo que nessa terça, ao lado de seu parceiro Alisson, enfrenta Franco e Pedro Cunha na primeira partida do country-quota brasileiro. Quem vencer esse confronto enfrenta o vencedor do jogo entre Benjamin/Luizão e Billy/Bruno.

Walsh e May retornam com título

Depois de terem ficado de fora algumas etapas devido a dores no ombro direito de Kerri Walsh, a maior dupla da atualidade do vôlei de praia mundial voltou a disputar uma etapa do circuito norte-americano esse fim-de-semana. E o retorno não poderia ter sido melhor.

A dupla que defendia o título da etapa de Louisville bateu em quarenta e um minutos Davis/Jordan por dois sets a zero, com parciais de 21-14 e 21-11. Mas para as campeãs o título foi mesmo conquistado nas quartas-de-final, quando tiveram a partida mais complicada de toda etapa.

Jogando contra Carrie Dodd e a brasileira Tati Minello as líderes do ranking norte-americano precisaram de três sets para avançar a semifinal. Depois de terem vencido o primeiro por 22-20, foram derrotadas por 21-19 no segundo e só venceram a partida com 17-15 no tie-break.

“Elas estão se tornando um dos times top do circuito”, elogiou Misty May apesar de ter conseguido manter a invencibilidade de sete vitórias no confronto contra as adversárias. Mas pela primeira vez foram precisos três sets para derrotá-las.

Na final masculina Phil Dalhausser e Todd Rogers bateram John Hyden e Brad Keenan por dois sets a um, com parciais de 22-20, 17-21 e 15-13.

Gregas levam o tri-campeonato na Suíça

Das três vezes em que Karadassiou e Arvanity disputaram a etapa da suíça do Circuito Europeu de Vôlei de Praia elas saíram do país com a medalha de ouro. Não foi diferente nesse domingo, quando conquistaram pela terceira vez o título da etapa.

Na decisão a dupla que também ficou com o ouro em 2005 e 2006 teve que enfrentar as adversárias e a torcida, já que disputaram o título contra a dupla da casa Kuhn/Schwer. Apesar da derrota por duplo 21-17, Simone Kuhn estava orgulhosa do jogo disputado em sua cidade natal. “Nós realmente jogamos muito bem na frente da nossa torcida”, disse animada a jogadora com a medalha de prata.

Já no masculino a vitória colocou definitivamente o nome dos alemães Matysik e Uhmann entre as potências do esporte no continente. A dupla que havia ganho a etapa da Áustria duas semanas antes, voltou a conquistar um título do tour europeu. Jogando contras os franceses Andy e Kevin Ces, eles não tiveram dificuldade em impor o seu ritmo de jogo e fechar a partida com dois sets a zero, parciais de 21-14 e 21-17.

Na disputas pelos bronzes, os atletas locais Heuscher/Heyer foram derrotados pelos poloneses Fijalek/Prudel (2x1 – 23-21/19-21/15-13) no masculino. Já entre as mulheres as norueguesas Hakedal e Toerlen bateram Jursone/Minusa da Letônia.

domingo, 25 de maio de 2008

Ainda não foi dessa vez que Márcio e Fábio Luiz chegaram ao pódio

Em busca da sua primeira medalha da temporada internacional de 2008, Márcio e Fábio Luiz chegaram muito perto do feito pela segunda vez, agora a pouco em Zagreb (Croácia). Na disputa pelo bronze eles acabaram derrotados por uma dupla norte-americana e deixam a competição com o quarto lugar, mesma colocação da dupla em Xangai.

O resultado, fruto da derrota por dois sets a zero para Fuerbringer e Jennings – parciais de 21-17 e 23-21 – não somou pontos a dupla na briga pela confirmação da segunda vaga brasileira em Pequim, já que somente uma final em Open substituirá o pior dos oitos resultados já obtidos por eles, mas também não alterou a diferença entre eles e os terceiro colocados (Pedro e Harley) – 180 pontos.

O resultado dos adversários (25ª colocação) foi considerado uma zebra e leva a disputa por preciosos pontos na disputa por Pequim para a próxima semana, quando as duplas brasileiras, tanto masculinas quanto femininas, voltam a se enfrentar na estréia da cidade de Barcelona no calendário do Circuito Mundial.

- Holandeses vencem de virada e ficam com o título

Com duplas brasileiras fora da disputa pelo título da etapa, os brasileiros ficaram de olho na decisão para conhecer um pouco mais os adversários que vêm fazendo frente nas etapas do mundial.

Na disputa pelo ouro os chineses Xu/Wu chegaram a vencer o primeiro set (21-17), mas permitiram a virada da dupla holandesa Nummerdor/Schuil – que haviam vencido Márcio e Fábio Luiz na semifinal – que devolveu o placar no segundo set e levou a partida com 15-11 no tie-break.

Juliana e Larissa batem chinesas e ficam com o ouro

Pela segunda vez na temporada Juliana e Larissa ganharam uma etapa do Circuito Mundial de Vôlei de Praia. Depois da vitória na estréia de 2008, em Adelaide, elas bateram agora a pouco as chinesas Tian Jia e Wang e ficaram com o ouro na etapa de Osaka (Japão).

Antes da final, porém, elas precisaram entrar em quadra para a disputa da semifinal. Em jogo contra as australianas Barnett/Cook elas devolveram a derrota sofrida na terceira rodada do torneio e avançaram a decisão com dois sets a zero, parciais de 21-19 e 21-14, em quarenta e seis minutos.

“Sexta foi como um sinal de alerta para nós. Jogamos muito mal contra as australianas, então sabíamos que precisávamos recuperar nosso foco”, disse Larissa sobre o fato de terem disputado a repescagem após a derrota na terceira rodada.

Mas o foco parece ter sido re-encontrado, afinal foram quatro vitórias seguidas sem perder um set depois disso. Incluindo nessa lista a decisão do título contra as chinesas, quando as brasileiras atropelaram as adversárias com 21-16 e 21-09 em apenas trinta e seis minutos de partida.